Júri condena réu a 14 anos de prisão por crime em 2005

O acusado foi julgado nesta quarta-feira (21)
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

O acusado foi julgado nesta quarta-feira (21)
O acusado foi julgado nesta quarta-feira (21)

Desde às 9h de ontem (21) até o fim da tarde, Fabio Silveira Chaves, 29 anos, foi julgado por homicídio qualificado no Tribunal do Júri da Vara Criminal de Araucária. Ele foi condenado a 14 anos e oito meses de prisão em regime fechado pelas mortes de Luiziandro Hypólito Guilhermino e Belardino Alves Ribeiro. Fabio poderá recorrer da sentença em liberdade.

O crime aconteceu na noite da véspera de Natal em 2005. Os homicídios aconteceram em frente a um bar, localizado, na época, na rua Arara esquina com a rua Saracura, no Capela Velha.

Fabio teria se desentendido com Luiziandro no “bar do Mário”. Então, foi para casa, chamou os amigos Sergio de Arruda Nascimento e Orlei Bueno Farias, já falecido, e os três voltaram ao estabelecimento atirando. Os acusados acabaram atingindo também Belardino, que, assim como Luiziandro, não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Vale ressaltar que o julgamento de Sergio acontecerá posteriormente, porque seu nome foi desmembrado do processo de Fabio.

Na semana passada

Na quarta-feira (14), semana passada, um dos suspeitos de ter matado um homem em frente a um bar há 14 anos foi julgado e condenado. Trata-se de Ricardo da Silva Santos, 33 anos, que no dia 28 de junho de 2002, juntamente aos colegas Antonio Admilson Machaleski e Nivaldo Alves de Oliveira, já falecido, agrediram a vítima Ariel dos Santos em via pública, na rua das Dálias, no Tupy. Devido aos chutes, socos e pedradas, a vítima não resistiu e acabou morrendo.

A condenação de Ricardo se deu após diversos recursos judiciais tomados pelos advogados do acusado em um processo que se estendeu por anos. De acordo com a sentença proferida no Tribunal do Júri, Ricardo foi condenado por lesão corporal seguida de morte, visto que o primeiro fato foi intencional, ou seja, a lesão à vítima, e o fato seguinte, a morte, aconteceu sem a intenção do réu.

Ainda na sentença, o juiz comentou que não havia motivos para o crime, pois não existe justificativa razoável para se tirar a vida de uma pessoa. Contudo, reconheceu a menoridade de Ricardo na época do crime e atenuou a pena para cinco anos, seis meses e dez dias de reclusão em regime semiaberto, podendo, o réu, recorrer à sentença em liberdade.

Outros julgamentos

Na próxima quarta-feira (28) haverá o julgamento dos acusados pelo assassinato de Claudinei Lourenço Pereira. O crime aconteceu no bairro Estação, na noite de 14 de setembro de 2003. Tudo começou com uma discussão sobre uma pendência entre os acusados e a vítima, porém a briga acabou na morte de Claudinei em frente à sua residência.

Texto: Rafaela Carvalho / Foto: Everson Santos