Justiça manda candidatos retirarem cavaletes das ruas

Cavaletes haviam tomado conta das ruas, poluindo visualmente a cidade
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email
Cavaletes haviam tomado conta das  ruas, poluindo visualmente  a cidade
Cavaletes haviam tomado conta das
ruas, poluindo visualmente
a cidade

03  política pb copy

A Justiça Eleitoral de Araucária declarou irregulares as propagandas veiculadas em cavaletes pelas ruas da cidade. A decisão é da juíza Maria Cristina Franco Chaves e foi proferida na quarta-feira, 13 de agosto. Nela, a magistrada determina a retirada de todos os materiais que se encontram em locais que prejudiquem a visibilidade de motoristas, a segurança do trânsito e a circulação dos pedestres.

A determinação da Justiça Eleitoral de Araucária foi tomada após a comunicação pelo Departamento de Trânsito do Município da possibilidade da existência de propaganda eleitoral irregular nas ruas da cidade. Diante do fato, a juíza determinou que o Cartório Eleitoral nos dias 7 e 8 de agosto vistoriasse “in loco” o caso e produzisse um relatório, o qual foi encaminhado para sua análise no dia 10 de agosto.

Com base nesse documento, a juíza considerou que o posicionamento dos cavaletes estão em locais próximos a esquinas, tomando amplo espaço nas calçadas, dificultando a visibilidade de motoristas e a circulação de pedestres, além de colocar em risco a segurança no trânsito, pois como os canteiros centrais são pequenos, esses materiais podem cair na pista e causar acidentes.

Ainda em sua determinação, a magistrada deu 48 horas para que os candidatos retirem esses cavaletes, sob pena de sofrerem as penalidades previstas na legislação eleitoral brasileira. No texto, a juíza também manda intimar os candidatos a deputado estadual RobisonFurman (PMN), Adriana Cocci (PTN), Palmonari (PRB) e Samir Fouani (PTB), além da postulante ao Governo do Estado, Gleisi Hoffmann (PT), visto que seriam eles que estariam praticando a propaganda irregular.