Lacaios, coteiros e fanáticos

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Assistindo no “youtube” o “Boa noite 247” com Rodrigo Viana, que é um desses jornalistas apaixonados pela profissão e que já trabalhou para os grandes veículos de comunicação deste país como Globo, Folha, Record e Cultura abordando desde politica, futebol e cultura resolvi compartilhar a opinião dele sobre nosso vergonhoso  domingo negro.

Ultimamente desgostoso com seus antigos patrões Rodrigo e uma centena de jornalistas iguais a ele, faz do site “Brasil 247”, um contraponto a opinião da grande mídia comercial que pauta o noticiário nacional manipulando o cidadão.

Eles afirmam que o tal CONSORCIO DE MIDIA ou de MENTIRAS escondem a “fakeada” e pagam advogados para manter “Adélio” preso e incomunicável e assim alimentar o bolsonarismo, sabidamente fruto da indústria de fake news.

Na época do Lampião, famoso bandoleiro nordestino que aterrorizava a população alguns termos eram usados para descrever o caráter das pessoas.

Lacaio era o puxa-saco, o adulador desprezível, o lambe botas, assim como o  Anderson Torres, concursado policial federal que Bolsonaro usava como ministro de justiça particular e após a derrota foi escalado para sabotar a segurança do Distrito Federal. Tomou posse goela abaixo do Ibaneiz no dia 02 de janeiro, exonerou todo o comando de segurança da capital e foi se encontrar com o patrão em Miami, deixando Brasília a mercê dos vândalos.

Coiteiro eram as pessoas que favoreciam e davam guarida aos malfeitores e saqueadores como os QGs do exercito tem feito em relação aos acampamentos de terroristas bolsonaristas em todo o país.

Fanático, sujeito desprovido de raciocínio logico, que acredita inspirado pelo espírito divino, deslumbrado na sua fé cega, cultiva mitos e como mitômano se comporta como um verdadeiro idiota quando enfrenta a realidade atrás das grades, como os milhares que a policia prendeu em Brasília neste domingo. Haja manicômio judiciário no planalto central !

Compartilhar
PUBLICIDADE