Compartilhe esta notícia

Mostrar mais uma vez sua habilidade em 328,8km de trechos desafiadores na cidade de Ponta Grossa. Essa era a vontade do piloto araucariense Marcos Tokarski, que seguraria a liderança do Paranaense de Rally de Velocidade na 5ª etapa do evento entre os dias 19 e 21 de setembro. No entanto, um pit stop da vida fez com que ele precisasse desacelerar.

No automobilismo, essa parada técnica envolve reabastecimento, troca de pneus e ajustes mecânicos com o trabalho de uma equipe especializada. No caso de Tokarski, o processo foi semelhante, mas envolveu um veículo diferente: sua saúde. “Nós estávamos fazendo um exame de acompanhamento do Linfoma Não Hodgkin que ele teve em 2012, e recebemos a confirmação da hidrocefalia supratentorial após a realização de uma ressonância magnética de crânio”, conta Bia Gavleta, esposa do piloto.

Com o resultado em mãos uma semana antes da prova de Ponta Grossa, Tokarski foi proibido pelos médicos de participar da corrida e precisou iniciar rapidamente o tratamento. “Tive que fazer uma cirurgia na segunda-feira de manhã para que a circulação de líquido no cérebro voltasse ao normal”, conta.

Segundo ele, o procedimento cirúrgico aconteceu no Instituto de Neurologia de Curitiba (INC), onde o neurocirurgião araucariense Sonival Unhevicz foi o responsável pela operação. “A equipe colocou um ‘caninho’ para ligar um ventrículo ao outro porque o glioma estava atrapalhando a circulação pelo caminho normal em meu cérebro”, explicou. Além disso, a equipe médica aproveitou a cirurgia para realizar uma biopsia. “Com base no resultado, que sai em duas semanas, eles vão definir se precisarei fazer mais uma cirurgia”, completou.

Incentivo

O piloto recebeu alta na terça-feira e deve aguardar o resultado em casa ao mesmo tempo em que realiza exames de acompanhamento e recebe o apoio de amigos e familiares. “Eu acompanhei de perto toda a carreira do Tokarski e estive ao seu lado como chefe de equipe no seu primeiro título nacional. Claro, também estive ao seu lado nos momentos ruins como no câncer que ele teve, quando lutou bravamente nunca se deixando abalar. Esse brilho de campeão é o que mantém ele forte e decidido a vencer qualquer batalha. O Tokarski é um exemplo, não só de pessoa, amigo e piloto, mas também de caráter e determinação”, afirmou Leonardo Pinotti, chefe da equipe Le Lac Rally Team.
Assim como Leonardo, dezenas de pessoas têm enviado recados de incentivo ao araucariense, e isso tem motivado o piloto a lutar por duas vitórias: do Paranaense de Rally e a da vida. “Está sendo muito legal receber toda essa energia positiva”, afirmou Tokarski, que está ansioso para competir a 6ª etapa do RallyPR, em Araucária. “Espero estar recuperado a tempo de lutar por esse campeonato nos dias 5 e 6 de dezembro. Essa será minha motivação e, enquanto tiver a mínima chance irei lutar para vencer”, finaliza.

Marcos Tokarski é proibido de competir no RallyPR - notícias da Esporte  - O Popular do Paraná
#RaçaToka

Texto: Raquel Derevecki

Compartilhe esta notícia
Fechar anúncio