Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

A moradora do bairro Capela Velha, Inez da Aparecida Melo Cândido, 49 anos, teve um câncer e usa bolsa de colostomia há 15 anos. Há quatro anos desenvolveu uma hérnia paraestomal, um obstáculo pós-operatório que aumenta em muito os transtornos já impostos pela ostomia. Além das feridas na pele, ela tem sofrido com dores constantes, e está praticamente incapacitada de realizar qualquer tipo de atividade, em função do tamanho da hérnia. Diante das dificuldades que vem enfrentando, dona Inez reclama da demora na cirurgia. “Preciso operar isso urgente, está gigante, não consigo mais fazer nada, meu marido tem que fazer todo serviço da casa. E as bolsas que o SUS me dá, não são suficientes para o mês”, disse a dona de casa.

O problema é que em função da hérnia, as bolsas não aderem à pele, e os vazamentos de fezes são mais comuns, exigindo trocas mais frequentes. “Às vezes a ferida tá muito feia e preciso colocar pomada, e isso prejudica ainda mais a aderência da bolsa. Preciso trocar mais vezes e não tenho condições de comprar, só meu marido trabalha e mal ganha para pagarmos as contas”, lamentou a dona de casa”, lamenta.

Hoje dona Inez recebe 15 bolsas por mês, cinco a mais do que a cota mensal estabelecida pelo SUS, segundo afirma a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA). “Nesta quarta-feira, 23 de junho, a dona Inez teve uma avaliação no ambulatório de feridas, com a enfermeira da empresa que fornece as bolsas para o Município. A avaliação foi para verificar as razões da dificuldade de aderência da pele com a bolsa”, disse a secretaria.

Cirurgia

Sobre a reclamação feita pela dona Inez da demora na cirurgia, a Secretaria de Saúde explicou que a paciente tinha dois agendamentos para avaliação cirúrgica, sendo que faltou a um deles e, posteriormente, foi na data reagendada. Na consulta com a cirurgia geral, ela foi orientada a levar as guias de agendamento dos exames pré-operatórios até a Unidade Básica de Saúde para que fossem agendados, porém não o fez. Ainda assim, a SMSA explicou que nesta quinta-feira, 24 de junho, irá providenciar o encaminhamento para que a paciente faça todos os procedimentos pré-cirúrgicos no Hospital Municipal de Araucária (HMA).

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1267 – 24/06/2021

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM