Compartilhe esta notícia

Moradores do Arvoredo investem em artesanato - notícias da Geral  - O Popular do Paraná
Moradores estão produzindo cestas com jornais velhos

Um grupo de moradores do Jardim Arvoredo II está buscando no artesanato uma alternativa para produção de renda e bem-estar. São membros da associação do bairro que começaram a produzir cestas a partir de jornais velhos. A idéia surgiu a partir de um convite feito pelo coordenador do Comitê de Mobilização Social pela Educação de Araucária, Moacir Tuleski, de apresentar o resultado deste trabalho feito pela comunidade no 7º Congresso Nós Podemos Paraná.

O evento será realizado nos dias 2 e 3 de dezembro, em Curitiba. O objetivo do evento é fomentar a discussão sobre temas relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) e a apresentação de projetos que colaboram para o alcance dos ODM nos municípios paranaenses. “O congresso contará com palestras que debaterão sobre os 10 anos dos ODM e outros temas propostos e também terá uma mostra com a apresentação dos projetos realizados nos municípios por diversas instituições, governos, indústrias, empresas e ONGs. De Araucária, ainda estamos fazendo os convites, mas já temos a confirmação da associação de moradores do Arvoredo II, que apresentará o artesanato com jornais”, explicou Moacir.

As inscrições poderão ser feitas via site, mas ainda não estão abertas.

Mãos à obra

Na quarta-feira, 5 de novembro, as artesãs receberam a visita do artesão Wellington P. Santos, funcionário da Sanepar, que atua como voluntário em trabalhos sociais envolvendo artesanato. Ele foi convidado pela presidente da associação, Laureni Vicente Belo Ferreira, para orientar o trabalho do grupo.

“A geração de renda é uma atividade que acaba trazendo muitos benefícios para a comunidade. O trabalho destas pessoas aqui hoje será um passo para que elas possam incrementar a renda familiar, ao mesmo tempo em que estarão contribuindo com a cultura do município e da região”, disse.

Laureni comentou que o convite feito pelo mobilizador Moacir Tuleski foi uma surpresa, mas a entidade aceitou de imediato e logo se organizou para decidir o que faria. “Nós escolhemos fazer cestas a partir de jornais velhos, porque além de a matéria-prima ser de baixo custo, o resultado do trabalho fica muito bom”.

Texto: Maurenn Bernardo / Foto: Everson Santos

Compartilhe esta notícia