Moradores reclamam de abordagem da GM em ocorrência de aglomeração no Costeira | O Popular do Paraná

A abordagem da Guarda Municipal de Araucária em uma confraternização ocorrida no sábado, 9 de janeiro, em uma obra no jardim Dona Rosa, bairro Costeira, causou revolta entre alguns dos moradores envolvidos na ocorrência. Segundo eles, os guardas municipais teriam agido de forma truculenta, na tentativa de cessar a reunião. Essas pessoas dizem também que não teriam desacatado os GMs.

Uma das pessoas envolvidas na confusão, inclusive, alega ter sofrido ofensas e constrangimentos após o caso ter sido divulgado, o que fez com que ela procurasse assessoria de um escritório de advocacia. “Os fatos narrados pelos guardas municipais não condizem com a realidade do que aconteceu naquele dia fatídico. O que é certo e incontroverso que a nossa cliente foi agredida fisicamente por um dos guardas municipais do sexo masculino, além de ter tido a sua honra ofendida com palavrões perpetrados por este”, afirmam as advogadas Pamela Camargo e Vera Teixeira.

Ainda de acordo com as advogadas, mais pessoas sofreram agressões, incluindo um adolescente. “Juntamente com a nossa cliente, estamos tomando as medidas cabíveis em relação a esses fatos, e tudo será apresentado perante o Poder Judiciário. Nesse momento não iremos revelar demais informações, pois é muito importante o sigilo no que envolve a situação do menor envolvido no caso, para que as investigações ocorram da melhor forma”, pontuaram.

Sobre o ocorrido, o secretário municipal de Segurança, José Roberto Fortes Couceiro, também se manifestou e disse que a Guarda Municipal precisou usar de força moderada porque alguns participantes da festa investiram sobre a equipe. “Recebemos a denúncia de aglomeração e perturbação do sossego, e enviamos as equipes até o local para orientar as pessoas, já que o decreto estadual continua valendo, e proíbe as aglomerações. Tudo estava indo muito bem, até que um homem bastante alterado apareceu e agrediu um dos nossos guardas. A equipe então se defendeu, com uso de força moderada. Mas o clima inflamou, pois outras pessoas investiram contra a equipe. Importante ressaltar que em situações como essa, não há condições de solicitar o RG de cada pessoa para saber se é menor ou não. O fato é que havia um menor no grupo, que investiu contra os guardas, e acabou se machucando também. Ressalta-se ainda, que muitos participantes da festa já estavam alcoolizados”, esclareceu o secretário.

Ele disse ainda que em toda situação onde a equipe é agredida, não tem como fugir, os guardas precisam se defender, mas sempre com uso de força moderada. O que ocorre é que em meio à confusão, muitas pessoas acabam se machucando. “Posso garantir que não houve excesso na ação da Guarda Municipal, mas de qualquer forma, o GM atingido vai representar contra o agressor. Lembro ainda que os celulares mencionados, que teriam desaparecido, foram recolhidos pela equipe na hora do fato, mas como estavam sem identificação, estão na sede da GMA, aguardando retirada pelos donos, mediante comprovação. O fato também foi registrado no nosso Relatório de Ocorrência nº 157, um documento oficial e público, também disponível na sede da GMA, para quem tiver interesse”, elucidou Fortes.

Moradores reclamam de abordagem da GM em ocorrência de aglomeração no Costeira
Foto: Divulgação
Compartilhe esta notícia: