Compartilhe esta notícia
Morte de funcionária do Condor causa comoção nas redes sociais - notícias da Policial  - O Popular do Paraná

A morte da funcionária do hipermercado Condor, Sandra Maria Aparecida Ribeiro, 45 anos, causou muita comoção nas redes sociais. Várias postagens com manifestações de pesar foram veiculadas por empresários, entidades, amigos, familiares e até mesmo de cidadãos comuns, deixando transparecer a indignação com relação a maneira besta como ela perdeu a vida. Sandra foi morta na tarde desta terça-feira, 28 de abril, durante uma discussão entre os seguranças do mercado e um cliente, que tentou entrar sem a máscara de proteção, sendo que o acessório já se tornou de uso obrigatório. Isso mesmo! A causa da tragédia foi uma simples máscara de proteção.

Segundo a Guarda Municipal, que atendeu a ocorrência juntamente com a Polícia Militar, o cliente Danir Garbossa, 58 anos, empresário da cidade de Contenda, tentou entrar no mercado sem a máscara, e foi abordado por uma funcionária ainda na porta. Ele discutiu com a mulher, virou as costas e pegou um carrinho. Quando tentou passar pela entrada que foi montada pelo supermercado para controle de acesso, um dos seguranças tentou abordá-lo, mas acabou sendo agredido fisicamente. Outro segurança, que trabalha como terceirizado no estabelecimento, veio na direção do cliente, e também foi agredido. Os dois acabaram entrando em luta corporal, e nesse instante, Danir teria tentado pegar a arma do segurança, momento em que houve um disparo, atingindo de raspão o abdômen do cliente. Sandra, que estaria vendo a discussão, teria se aproximado para tentar conversar com o cliente, quando um segundo tiro foi disparado, atingindo seu pescoço.

Mesmo ferida, ela correu em direção a porta do mercado, Danir saiu correndo logo atrás, pegou no seu braço, dando a entender que a faria de escudo para se proteger. Sandra se desvencilhou e ele mais uma vez pegou no seu braço, até que desistiu e tentou fugir. Sandra foi socorrida por colegas, mas acabou não resistindo e morreu antes da chegada do socorro.

Danir Garbossa também foi socorrido e encaminhado ao Hospital do Trabalhador, em Curitiba, sob escolta da Guarda Municipal. Lá, ele foi submetido a exames e curativo, tendo alta em seguida. Após, foi conduzido diretamente para a Delegacia de Polícia de Araucária. O segurança também foi levado para a DP. Na tarde desta quarta-feira, 29, os dois prestaram depoimentos. Segundo o delegado Tiago Wladyka, o flagrante já foi comunicado ao Poder Judiciário, dentro do prazo legal. Danir Garbossa optou em se manter em silêncio durante o depoimento. Já o segurança disse que o cliente partiu pra cima dele, lhe deu um soco e que ele efetuou um disparo para tentar contê-lo, porém, não se lembra do segundo disparo, que provavelmente deve ter acontecido quando o cliente tentava pegar a sua arma e os dois estavam em luta, ambos agarrados na mesma”, comentou o delegado.

Ao segurança, o delegado chegou a arbitrar fiança no valor de R$ 10 mil. Porém, como ela não foi recolhida antes da comunicação ao Juízo, agora será necessária determinação da Justiça para que ele seja liberado. Já para Danir, não foi arbitrada fiança pela autoridade policial. Com isso, caberá ao Juízo da Vara Criminal de Araucária decidir se converte ou não a prisão de Danir em preventiva.

Notas de pesar

Em nota, o supermercado Condor lamentou a morte da colaboradora Sandra Ribeiro, agradeceu sua dedicação nos oito anos de serviços prestados e afirmou que está oferecendo todo o apoio e ajuda à família.

Da mesma forma o Grupo Protege, do qual o segurança faz parte, lamentou o ocorrido e destacou que presta total solidariedade à família e aos amigos da vítima. Disse ainda que a empresa está colaborando com as autoridades na busca de informações que possam contribuir para a investigação do caso.

Foto: Marco Charneski e divulgação

Publicado na edição 1210 – 30/04/2020

Compartilhe esta notícia
Fechar anúncio