Familiares teriam visto o momento em que Eduardo foi morto
Familiares teriam visto o momento em que Eduardo foi morto
10668283_647138428718078_1460385715_n
Eduardo Gregório, 21 anos, foi executado com três tiros na cabeça na noite de quarta-feira, 3 de setembro, por volta das 21 horas, na Estrada do Botiatuvinha, área rural de Araucária. O rapaz foi executado na frente de familiares, que viram quando o atirador chegou, anunciou o assalto e efetuou os disparos.

A mulher da vítima relatou que estava na casa da vizinha, juntamente com a sogra, a mãe e o irmão quando ouviu os gritos do algoz. Ela disse ainda que foi tudo muito rápido, quando viu o marido já estava caído no chão e o assassino já tinha fugido. O mais estranho é que ele nada levou, por isso a polícia trabalha com a hipótese de execução e não de latrocínio (roubo seguido de morte).

Quando a polícia chegou ao local do crime, a vítima foi identificada inicialmente por Luan Henrique Sales da Costa, isso porque na casa havia um prontuário com este nome. No entanto, familiares revelaram o verdadeiro nome da vítima, que posteriormente teve a identificação confirmada pelo Instituto Médico Legal (IML).

De acordo com a Polícia Civil, Eduardo trabalhava como pedreiro e era usuário de drogas. Quando morto, foi encontrado em sua mão esquerda um projétil e uma porção de maconha. A Delegacia de Araucária investiga o crime.

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

Compartilhe

Share on twitter
Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp