Motoristas de vans protestam contra Lei da Cadeirinha

A manifestação iniciou em frente à Câmara e passou pelas principais vias de Araucária
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

A manifestação iniciou em frente à Câmara e passou pelas principais vias de Araucária
A manifestação iniciou em frente à Câmara e passou pelas principais vias de Araucária

Os assentos de elevação, comuns nos carros de passeio que transportam crianças com até sete anos, passará a ser uma obrigação também nas vans escolares. No entanto, isso pode aumentar o valor das mensalidades de transporte em mais de 300%, e os motoristas alegam que isso afetará os pais que necessitam do serviço e também as empresas que atendem crianças e adultos. Por isso, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros por Fretamento realizou uma manifestação contra essa lei em frente à Câmara Municipal de Araucária na última terça-feira, 4 de agosto.

De acordo com Leandro de Carvalho, presidente do sindicato, o protesto contou com quase 100 vans e também passou pelas principais ruas da cidade. “Nosso objetivo é chamar a atenção para a nova lei do Conselho Nacional de Trânsito – Contran, e mostrar que ela é inviável. Por isso, sindicatos de todo o Brasil estão realizando ações assim”, afirma.

Segundo ele, a regra passa a valer a partir de fevereiro de 2016, mas as empresas não têm condições de atender à regra. “Se tivermos que usar a cadeiri­nha, teremos que tornar a van exclusiva para o atendimento dos pequenos, deixando de aten­der alunos do segundo grau e faculdade. Assim, a mensalidade que hoje custa R$ 150,00 chegará perto de R$ 500,00”, explica.

Além disso, ele garante que o sindicato realizou uma pesquisa em Araucária e, no período de dez anos, não foi notificado nenhum acidente envolvendo crianças machucadas durante o transporte escolar. “Então, queremos a revogação da nova lei e, se isso não acontecer, vamos nos unir aos demais sindicatos do país para entrar com uma ação na justiça”, adianta.

Texto: Raquel Derevecki / FOTO: divulgação