Representantes de vários municípios participaram da discussão
Representantes de vários municípios participaram da discussão

Araucária sediou na tarde de quarta-feira, 8 de abril, um encontro de formação sobre Acessibilidade Atitudinal e Arquitetônica que reuniu representantes de diversos municípios da região metropolitana, agentes políticos, representantes da Educação, Guarda Municipal, Conselhos Municipais, entidades que aten­dem pessoas com deficiência e representantes de empresas.

A formação surgiu a partir da decisão do Fórum Metropolitano de Gestores Públicos de Políticas para as Pessoas com Deficiência, criado em abril de 2014, com represen­tantes da região de Curitiba e que visa o planejamento de ações na área de maneira integrada e transversal.

Os participantes foram assessorados por representantes da Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência e do Instituto Municipal de Administração Pública, ambos de Curitiba. Na conversa foram debattidas as barreiras e desafios enfrentados em espaços públicos e privados, até mesmo nas casas relacionados à acessibilidade, bem como atitudes pessoais que não contribuem para a superação dessas dificuldades.

“Temos como objetivo trabalhar de forma intersetorial: poder público e sociedade ci­vil. Cada um com as suas competências”, resumiu a diretora do Departamento de Educação Especial Marli Kaczmareck. Junto com a secretária municipal de Educação Janete Maria Miotto Schiontek, Marli representa o município de Arau­cária no Fórum. Na abertura da formação, Janete deu as boas-vindas a todos e comentou sobre a importância de as pessoas com deficiência serem tratadas com mais respeito e como cidadãos que são.

Fórum

Com reuniões bimestrais, o Fórum Metropolitano de Gestores Públicos de Políticas para as Pessoas com Deficiência teve seu encontro também em Araucária no dia 8 de abril, mas no período da manhã. Com um ano de formação, o fórum metropolitano está fazendo o mapeamento e diagnóstico das situações relacionadas à acessibilidade encontradas em cada município; isso inclui leis municipais e serviços e ações desenvolvidas neles.

Em um futuro breve, será a vez de propor estratégias para aprimorar serviços nessa área, a divulgação de ações e conscientização e também pesquisas sobre financiamentos para investimentos nas cidades.

FOTO: Giliardi de Souza/SMED

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

Compartilhe

Share on twitter
Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp