Notas políticas: União Brasil

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

A nata do União Brasil no Paraná esteve em Araucária na semana passada para uma conversa com o prefeito Hissam.

A comitiva era composta pelo deputado federal Felipe Francischini, a vereadora Flávia Francischini e o ex-deputado Fernando Francischini.

Nova executiva

A família Francischini veio a Araucária para discutir os rumos do União Brasil por estas bandas no pleito do ano que vem. De concreto deste encontro ficou acertado que a legenda integrará a base de apoio de Hissam e caminhará com ele no pleito do ano que vem. A nova executiva da legenda também ficou definida, sendo que caberá ao secretário de Governo, Vanderlei Francisco de Oliveira sua presidência.

Musculatura

Existe também a tendência de que o União Brasil ganhe mais musculatura em Araucária, com várias lideranças municipais se filiando a ele. Inclusive, alguns vereadores devem se juntar ao partido. Mas isso só no ano que vem, em abril, quando estiver aberta a janela de transferências para quem tem mandato.

Hissam

O próprio Hissam, que está sem partido desde que se desfiliou do Cidadania, talvez cerre fileiras com o União Brasil. Quando isso acontecerá, no entanto, ainda não se sabe.

Eleições 2024

A propósito, faltando poucos meses para que os interessados em disputar as eleições municipais de 2024 se acomodem em algum partido político, temos visto uma intensificação nas análises desses pretendentes para tentar entender qual a melhor legenda para se filiar. Isto, claro, na disputa por uma vaga na Câmara.

Chapa

Uma das análises a ser feita é com relação a competividade da chapa a ser formada por esse partido. Então, esses pretendentes querem saber quem mais se juntará ao grupo, se a pessoa tem entrada em algum nicho específico de eleitorado, se tem algum dinheirinho pra investir na campanha e assim por diante.

Mulheres

Nessa análise, item importante que vem sendo analisado é quem serão as mulheres do grupo. E a regra vale tanto para candidato homem quanto para candidata mulher. Os espertos analisam quem comporá aquela cota feminina de 30% da chapa (obrigatória pela legislação eleitoral). Isto porque, infelizmente, a política local segue sendo praticada essencialmente por homens, o que faz com que as mulheres lançadas candidatas não necessariamente tenham feito um trabalho de divulgação de seus nomes ao longo dos últimos anos, o que as tornam menos competitivas.

Medalhões

Outro ponto analisado é se há medalhões na chapa. Medalhões são aquelas pessoas com o nome político consolidado, com estrutura de cabos eleitorais e grana para investir ou que já são vereadores. Para um candidato novato, é interessante ter um ou outro medalhão no grupo. Agora, se houver muitos, a chance dele ser um mero “escadinha de luxo” é grande.

Promessas

Já que o assunto é eleição, é preciso que os interessados em disputar uma vaga na Câmara em 2024 tomem cuidado com promessas muito tentadoras feitas por dirigentes partidários. Se algum já te prometeu grana de fundo partidário, desconfie. Embora os números desse fundo sejam de encher os olhos quando vistos globalmente, pouco efetivamente chega para candidaturas de municípios como o de Araucária. Resumindo, não faça seu orçamento de campanha pensando nesta grana.

Ponta firme

Importante também para você que pretende ser candidato é ficar esperto com o dirigente partidário responsável pela provisória em âmbito municipal. Tenha certeza de que ele é ponta firme, que não vai mudar de ideia no curso do processo eleitoral. Afinal, até o último dia do prazo de filiação para os interessados em ser candidato ele poderá te tratar de um jeito, depois disso a história é diferente.

Histórias

Em Araucária, por exemplo, historicamente, o que não falta é caso de dirigente partidário que passou a perna em candidatos a vereador. Numa das histórias mais engraçadas, o presidente de um partido que estava alinhado a determinado candidato majoritário simplesmente decidiu mudar de lado aos 45 do segundo tempo por motivos que até hoje nunca ficaram bem esclarecidos. Resultado: o dirigente foi xingado e saiu sob pontapés da convenção. Mas, mesmo assim, os fiéis que acreditaram na proposta dele de chapa sem medalhões ficaram chupando dedo.

Tic-tac

Em tese, acaba nesta semana o prazo de três meses dado pelo prefeito Hissam Hussein Dehaini para que sindicatos, grupos de servidores e Fundo de Previdência sugerissem alterações nos projetos de lei que reformam a previdência e a carreira do funcionalismo municipal.

Semana que vem

Embora não haja certeza acerca da data em que Hissam devolverá esses projetos ao Poder Legislativo para continuidade da tramitação, existe a possibilidade de que isso aconteça já na semana que vem.

Alterações

E falando em sugestões, ao que se sabe, um grupo de servidores que não se sente representado pelos sindicatos nessas discussões sobre carreira e previdência deve apresentar uma série de sugestões de adequações ao texto original proposto pela FIA. Ainda não se sabe se essas mudanças serão incorporadas pela administração.

Só semana que vem

E falando sobre FIA, esta semana não teremos oitivas no âmbito da Comissão de Inquérito aberta pela Câmara para apurar eventuais irregularidades na contratação da Fundação Instituto de Administração (FIA).

SIFAR

As oitivas serão retomadas no próximo dia 23 de novembro, com a oitiva de representantes do SIFAR, que é o sindicato do quadro geral dos servidores municipais.

Equívoco

E por falar em SIFAR, na semana passada cometemos um equívoco em nota veiculada por esta Coluna. Nela, dissemos que na reunião realizada pelo grupo de trabalho no dia 8 de novembro não havia representantes do sindicato do quadro geral. No entanto, o SIFAR se fez sim presente por meio dos filiados Nathalie Pavese Ferreira e Gilson Favetti, além de sua assessoria jurídica.

Ricardo Barros, 64 anos

O secretário de Meio Ambiente, Vitor Cantador (PP), participou nos últimos dias de um evento em comemoração aos 64 anos do deputado federal licenciado Ricardo Barros. A festa foi bastante prestigiada e contou com a presença de panteões da política paranaense, como o governador Ratinho Junior (PSD), o vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel, dentre outros.

Notas políticas: União Brasil

Edição n.º 1389

Compartilhar
PUBLICIDADE