Compartilhe esta notícia

 

Notificações de casos graves de H1N1 estão disponíveis na internet   

Nos últimos dias vários foram os boatos de que escolas e cmeis de Araucária registravam um surto de gripe H1N1. A notícia, falsa, segundo o Departamento de Vigilância em Saúde do Município, reforça a importância de que o cidadão procure se informar pelos meios corretos sobre a existência desses problemas antes de começar a espalhar comentários por aí.


No caso específico da H1N1, a gripe da moda, é importante que as pessoas saibam que a Vigilância Epidemiológica do Município é obrigada a notificar todos os casos graves da doença, que tenham resultado em internamento ou óbito. O órgão informa à Secretaria de Estado da Saúde (SESA) por meio de um sistema online. Ali são inseridos, por meio de um formulário padrão, os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), sendo que – semanalmente – os boletins de todo o Estado ficam disponíveis para consulta na internet.

Conforme a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde da Prefeitura, Alexsandra Tome, nos casos de pacientes com gripe grave, é feito exame para verificar qual tipo de influenza (que é nome, digamos assim, científico da gripe) é o responsável pela doença. Existem hoje vários de influenza. A mais conhecida atualmente é a H1N1, mas há também a influenza A do tipo H1, do tipo H3, a influenza B, entre outras. “Todas elas são gripes e sempre que elas evoluem para uma SRAG fazemos a comunicação”, explica.

Segundo os relatórios disponíveis no site da Secretaria de Estado da Saúde, até o último dia 17 de maio, Araucária não havia registrado nenhum caso de SRAG, fosse provocada pela influenza H1N1 ou outra.

Veja o relatório disponibilizado pela SESA, clicando AQUI

 

No link abaixo também é possível ver todos os relatórios sobre a doença disponíveis no site da SESA.

http://www.saude.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=2811

 

Texto: Waldiclei Barboza

Compartilhe esta notícia