Araucária PR, , 13°C

O programa de Jesus

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Depois que Jesus foi batizado e se manifestado ao mundo como o Filho de Deus, que veio para revelar o rosto do Pai, ele apresenta seu programa de vida para a humanidade. Isso acontece na sequência do milagre realizado nas Bodas de Cana, manifestando o seu poder e a sua glória. Eis as palavras dirigidas pelo Mestre, como seu projeto de vida: ‘O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu. Enviou-me para dar a boa notícia aos pobres; para anunciar aos cativos a liberdade e aos cegos a visão; para pôr em liberdade os oprimidos, para anunciar o ano da graça do Senhor’. Aqui está resumida toda a missão para a qual Jesus foi enviado por Deus Pai a esse mundo. Claramente, uma vida colocada plenamente a serviço de todos, mas de modo bem especial, aos mais sofridos e marginalizados da sociedade. Vejamos!

Jesus foi enviado para levar a boa nova, a esperança aos pobres. Quem são os pobres? Os cativos, ou seja, os presos, acorrentados por diversos tipos de prisão. Aqueles que não enxergam, e, por isso, são excluídos da sociedade. Os oprimidos, dominados por diversas opressões, e, hoje, isso tem também o nome de depressão, de falta de sentido, de um esvaziamento interior. Todos esses seres humanos estavam dominados por algum problema, seja ele físico ou espiritual ou material. A preocupação do Mestre não foi com os sadios, mas com os doentes, com aqueles que precisavam de médico. E ele veio para curar, libertar, resgatar a dignidade e dar plena confiança àqueles que se sentiam dominados e massacrados pela sociedade da época.

Este Jesus que viveu pregando a boa nova durante três anos, ele morreu, mas, ressuscitou e, continua vivo através de cada um de seus seguidores. E, hoje, o que significa ser seu seguidor? Quais são as exigências do seu seguimento? Existe, sim, o perigo de criar um Jesus bem diferente daquele que passou entre nós, anunciado o Reino de Deus, através de palavras, gestos e ações. Existe o perigo de criar um Jesus intimista, que esteja ao meu serviço, somente interessado com os meus problemas pessoais, distante daqueles que realmente necessitam de minha presença. De se dirigir a ele pedindo somente para ajudar nos meus problemas pessoais, ignorando aqueles que sofrem e padecem ao meu redor. É como se ele não tivesse nenhuma ligação com os outros, mas somente com a minha vida pessoal.

O programa de vida de Jesus, apresentado no início da sua vida pública, claramente mostra os preferidos do Mestre. E são os seus prediletos, isso significa que nós, seus seguidores, devemos olhar para eles com um carinho e ternura especiais. Seguir o Senhor nos desafia a se preocupar com aqueles que mais precisam e com os que mais sofrem, e, colocar-se diante deles numa atitude de solidariedade. Quem diz que segue Jesus, mas odeia o pobre ignora o sofredor, humilha e debocha dos que estão em dificuldades, ainda não o encarnou em sua vida. É abrir mão de suas vontades, para se colocar ao lado das necessidades do outro, sentir-se seu irmão, pronto para ajudar e servir.

A missão de Jesus claramente colocada a serviço dos sofredores nos impulsiona também a fazermos da nossa vida uma entrega de amor em prol dos que mais necessitam. A vida de cristão, seguidor de Jesus, só tem sentido, quando vivida como doação, entrega, sacrifício, doação, com amor e com muita alegria. A verdadeira face do cristão manifesta-se na alegria de poder ajudar, fazer o bem, partilhar, ser solidário, estar pronto para servir e ir ao encontro do outro. O programa de Jesus é o programa de todos os seus seguidores.

Publicado na edição 1295 – 20/01/2022

O programa de Jesus
O programa de Jesus 1