O round final

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Araucária e o Brasil vão às urnas no próximo domingo, 30 de outubro, para o segundo round de uma das eleições mais disputadas de nossa jovem democracia.

O exercício do voto é algo sagrado. É o momento em que, independentemente de qual seja a classe social, gênero ou raça do eleitor, todos temos o mesmo peso para a democracia. O voto do pobre vale tanto quanto do rico. O voto do preto tem o mesmo valor do pardo, branco ou polaco. E é esse o maior dos valores da opção de estado em que vivemos: a igualdade na escolha de seus representantes.

E é justamente por termos o mesmo peso que devemos exercer esse direito com tranquilidade e maturidade. Você pode não concordar com as propostas de algum dos candidatos. Você pode achar esse ou aquele despreparado. Você pode mergulhar de corpo e alma na campanha de algum deles e defendê-lo com unhas e dentes. Porém, você jamais pode esquecer que ele também é mais uma engrenagem do regime em que felizmente optamos viver, que é a democracia representativa.
E num país como o nosso, tão importante quanto fazer o possível para que nossos prediletos se elejam é aceitar o resultado das urnas. Aceitar que aquele que obtiver mais votos é o vencedor e que essa vitória precisa ser respeitada por todos, principalmente por quem tenha escolhido o candidato que obteve menos votos.
Torçamos para que o segundo round seja o último deste pleito eleitoral. Torçamos para que o resultado das urnas seja respeitado e que o vencedor se dedique única e exclusivamente ao exercício de um governo próspero, voltado as necessidades de nosso país e de sua população.
Precisamos evoluir muito enquanto país e não conseguiremos fazer isso se nossos governantes não estiverem imbuídos de um espírito democrático e de busca da união de seus cidadãos. Bom voto a todos!

Compartilhar
PUBLICIDADE