Secretaria de Saúde deve manter atendimento no CECC até o próximo dia 31 de dezembro. Foto: Marco Charneski

A diminuição do número de casos de contaminação por Covid-19 em Araucária alcançou dados animadores. Ao longo dos últimos dias, apenas dois novos pacientes foram diagnosticados com o vírus, sendo que nesta quarta-feira, 15 de dezembro, o número de pessoas com vírus ativo era apenas cinco.

O cenário animador, provocado principalmente em razão dos altos índices de vacinação na cidade, já permite que a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) comece a desmobilizar a estrutura montada no antigo NIS 24 horas. Lá foi montado o Centro Especial de Combate ao Coronavírus (CECC), uma espécie de hospital de campanha onde foram centralizados ao longo do último um ano e meio os atendimentos a casos de síndromes gripais.

De acordo com a SMSA, a ideia é desativar aquela estrutura no dia 31 de dezembro de 2021. Porém, parte dos equipamentos disponibilizados no local para identificar os casos de coronavírus já está sendo descontinuado. É o caso, por exemplo, do tomógrafo que havia no CECC. O equipamento era locado e foi essencial para identificar o grau de comprometimento dos pulmões de infectados quando a pandemia estava em seu auge. Da mesma forma, o cilindro que fornecia os gases medicinais essenciais para manutenção de pacientes que precisavam de suporte ventilatório também teve seu contrato de locação encerrado.

Segundo a Secretaria de Saúde, o encerramento das atividades no CECC não quer dizer o fim dos cuidados extras que a Prefeitura promoverá para acompanhar a evolução dos casos de coronavírus. “O que tenho dito é que o CECC não irá fechar. Ele irá é evoluir, sendo levado aos bairros para que possamos atender com mais agilidade casos de síndromes gripais”, afirma Adilson Seidi Suguiura, secretário municipal de Saúde.

Essa descentralização do CECC acontecerá por meio de containers adaptados que serão instalados em pelo menos cinco unidades básicas de saúde. “Esses containers funcionam como consultórios, tem toda a infraestrutura necessária, com ar-condicionado, sala de triagem e de consulta”, pontua o secretário.

Adilson explica ainda que sempre que a pessoa tiver algum tipo de síndrome gripal ela procurará diretamente a unidade de saúde, sendo atendida nesse posto avançado. As equipes que atuarão nesses locais não serão as mesmas que já atuam na unidade básica. “Estamos organizando esse fluxo para que, mesmo com os números de casos de coronavírus em queda, possamos ainda ter esse olhar diferenciado nessa fase de rescaldo da pandemia. Precisamos seguir atentos e nos cuidando”, pede o secretário.

Texto: Waldiclei Barboza

Publicado na edição 1292 – 16/12/2021

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

Compartilhe

Share on twitter
Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp