Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Uma luta travada por muitas famílias, associações e profissionais envolvidos com a questão do Transtorno do Espectro Autista (TEA) chegou ao fim, e com vitória. Após uma incansável peregrinação para trazer para o Brasil, através do Sistema Único de Saúde (SUS), o tratamento que hoje é considerado o mais avançado para o TEA, eles receberam a melhor de todas as notícias possíveis. O Paraná finalmente será o primeiro estado a incluir a terapia Análise do Comportamento Aplicada, ou ABA (Applied Behavior Analysis, na sigla em inglês) pela rede pública de saúde. A decisão foi divulgada recentemente e causou euforia entre todos aqueles que brigaram arduamente pela causa.

“O ABA é a melhor intervenção do mundo pra autismo, é a ciência ABA, não é método. Foi firmado esse convênio e o governo do Paraná será o pioneiro, referência para o mundo. Estamos extremamente felizes com essa conquista. A formação pelo Instituto da Flórida, que forma todos em ABA, na pessoa da Amanda Bueno, que é a nossa BCBA (Board Certified Behavior Analyst), diretora clínica do CEDIN – Centro de Diagnóstico e Intervenção do Neurodesenvolvimento, fez toda a ponte. Agradecemos a todos que se envolveram nessa causa, que não desistiram em momento algum, porque recebemos críticas, sofremos retaliações, ouvimos várias vezes que o que buscávamos era uma utopia, várias vezes tentaram nos desanimar, por isso hoje, com essa conquista, a emoção é tanta que fica até difícil expressar”, comentou Sandra Prado, presidente da AKA – Associação Kasa do Autista de Araucária.

Segundo ela, a Secretaria de Estado da Saúde já iniciou, em todos os municípios do Paraná, as inscrições para a capacitação multiprofissional em Análise do Comportamento Aplicada (ABA) voltada ao Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). O curso, que inicia em 5 de outubro, é destinado aos profissionais médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, assistentes sociais, cirurgiões-dentistas, bem como gestores da rede SUS do Estado.

Sobre o ABA

Evidências científicas indicam melhoras nos sintomas do autismo a partir do tratamento ABA, que proporciona aos autistas o desenvolvimento de sua autonomia por meio da aprendizagem de importantes habilidades sociais e motoras nas áreas de comunicação e autocuidado, bem como na redução de comportamentos não adaptativos, como estereotipias, agressividade e controle de raiva.

Desta forma, a capacitação multiprofissional aplicada ao autismo, em parceria com a The Scott Center for Autism Treatment/Florida Institute of Technology, tem como proposta capacitar profissionais e gestores da rede SUS, visando qualificar o atendimento dos usuários com suspeita e/ou diagnóstico de TEA, impactando na melhora da qualidade de vida e possibilidade de desenvolvimento de autonomia de milhares de pessoas.

Além desta capacitação na modalidade à distância, a Escola de Saúde Pública do Paraná – ESPP da SESA, em parceria com The Scott Center for Autism Treatment/Florida Institute of Technology, ofertará o módulo presencial para formação de multiplicadores em ABA voltado ao Transtorno do Espectro Autista no período letivo do ano de 2021. Para este módulo presencial será publicado um edital próprio para seleção dos candidatos, onde o desempenho dos alunos no módulo EAD também será pontuado. Na sequência também existe a proposta de disponibilizar um módulo para os pais.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1230 – 17/09/2020

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM