fbpx

Apenas 16 enxadristas se inscreveram na competição
Apenas 16 enxadristas se inscreveram na competição

Para uma cidade que já teve representantes nos maiores campeonatos de Xadrez do país e até mesmo no Mundial da modalidade, Araucária está deixando a desejar. A situação preocupante apareceu durante o Circuito Metropolitano de Xadrez Rápido, que aconteceu no Colégio São Vicente de Paulo dia 11 de outubro.

De acordo com Ricardo Alves Guimarães, diretor do torneio, a expectativa era de que pelo menos 40 pessoas se inscrevessem para a competição e de que dezenas torcessem pelos competidores. “Mas só tivemos 16 inscritos”, lamentou.

Mesmo com a baixa adesão ao torneio, ele afirma que o evento foi ótimo para a prática da modalidade e para a tentativa de popularizar o xadrez novamente em Araucária. “Tivemos apoio da Federação Paranaense de Xadrez, conseguimos patrocínio das empresas Cacau Show, O Boticário, Móveis Kujawa e Automotiva Araucária, e ainda recebemos grandes enxadristas de Curitiba, Pinhais, São José dos Pinhais e até um argentino”, conta.
07 esporte pb copy
Já para Murilo Gimenez Salustiano, presidente do Clube de Xadrez de Curitiba, a situação foi preocupante e merece atenção das autoridades locais. “Araucária já foi um celeiro de grandes campeões na época em que eram oferecidas aulas para os interessados e havia incentivo, mas hoje os projetos de xadrez na cidade estão abandonados”, afirma.
Segundo ele, a falta de atenção do município vai além da prática nas escolinhas e das competições locais. “O xadrez também deve fazer parte da grade curricular nas escolas porque ele auxilia no desenvolvimento cognitivo da criança. Só que, pelo que parece, os pequenos não estão recebendo essas aulas como deveriam e, se não temos crianças aprendendo, teremos cada vez menos pessoas jogando”, aponta.

O jornal entrou em contato com a Prefeitura Municipal de Araucária perguntando a respeito da situação da modalidade em Araucária, mas, até o fechamento desta edição não obteve resposta.

Texto: Raquel Derevecki / Foto: Everson Santos

VEJA TAMBÉM

Compartilhe