Na quinta-feira, 24 de fevereiro, a Delegacia de Araucária prendeu, por posse irregular de munições, um indivíduo que se dizia agiota, forjava andar armado e fazia tráfico de entorpecentes. O crime é previsto no art. 12 do Estatuto do Desarmamento.

Segundo a polícia, tudo começou quando o suspeito passou a extorquir a vítima, após ter emprestado a ela certa quantia em dinheiro. O falso agiota emprestou a quantia para pagamento em 30 dias, com um juros de mais de 20%, o que é considerado crime de usura, segundo as leis do país.

A vítima pagou parte da dívida, mas o suspeito, segundo ela, aplicava diversas quantidades de juros e a ameaçava com fotos de pistolas e vídeos de espingardas calibre 12, afirmando que se não o pagasse, a exterminaria.

O suspeito ainda disse à vítima que ela poderia pagar a dívida, com favores sexuais. Todas as ameaças e extorsões, conforme a vítima, foram feitas via conversas whatsapp e entregues à Polícia Civil de Araucária.
Após registro de ocorrência e instauração de inquérito policial, a equipe do delegado Tiago Wladyka fez diligências, representou por buscas na residência do suposto agiota.

Na manhã desta quinta, o delegado e seus investigadores, com mandado de busca e apreensão em mãos, foram até a residência do suspeito e o prenderam. Com ele foi apreendido um carregador de pistola 380, com 15 munições intactas.

Também foi lavrado auto de prisão em flagrante contra o investigado, que pagou fiança e responderá pelos crimes de usura, extorsão e posse irregular de munição de arma de fogo de uso permitido.

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

Compartilhe

Share on twitter
Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp