A água parada pode, inclusive, proliferar os transmissores da dengue
A água parada pode, inclusive, proliferar os transmissores da dengue

Enquanto a temperatura marcada pelos termômetros começa a subir e a vontade de se refrescar aumenta, as piscinas do Núcleo São Francisco de Assis (CSU) permanecem abandonadas. Essa é a denúncia que moradores da região levaram ao jornal O Popular do Paraná na última semana. “A água está totalmente suja, fede e tem até pássaros mortos lá”, contaram.

Segundo eles, a situação é um descaso com a população e ainda é um fator de risco para os moradores. “Falam tanto pra nós evitarmos deixar água parada na nossa casa para que os transmissores de dengue não se proliferem, mas agora deixam um espaço público nessas condições. Isso é uma vergonha!”, lamentam.

De acordo com a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL), a situação não é tão terrível como a descrita já que visitas técnicas seriam realizadas regularmente no local por uma equipe da Secretaria de Meio Ambiente (SMMA) a fim de controlar e identificar eventuais focos de contaminação. “Também é realizada manutenção básica da água, sendo que a manutenção otimizada geraria demanda muito alta de produtos químicos, principalmente de cloro a custo bastante vultuoso”, comenta.

Para completar, a SMEL garante que o aspecto esverdeado da água ocorre por causa do desenvolvimento de algas, o que foi intensificado nos últimos dias devido à grande incidência de chuvas, calor e vento.

Quanto à reutilização das piscinas, a secretaria informa que a temporada inicia apenas no dia 2 de dezembro. Então, até lá, a população deve monitorar as visitas técnicas realizadas pela SMMA para garantir a limpeza do local e suportar o calor somente olhando para as piscinas.

Texto: Raquel Derevecki / Foto: Everson Santos

VEJA TAMBÉM

Compartilhe