Um dos lados do guarda-corpo da ponte atual está estragado e, do outro lado, sequer há o acessório de segurança. Foto: Marco Charneski

Se tudo ocorrer conforme o planejado ainda este ano ou no início do próximo, a Prefeitura de Araucária deve iniciar a licitação para escolha da empresa que executará a nova ponte sobre a represa do Rio Verde, que dá acesso ao município de Campo Largo pela localidade rural de Colônia Cristina.

Foco recorrente de quem precisa cruzá-la, a ponte está em péssimo estado, representando risco a pedestres, ciclistas e motoristas que cotidianamente transitam pelo local, seja a lazer ou mesmo para escoar parte do que é produzido na área rural da cidade e vendido em Campo Largo.

O projeto da nova ponte foi desenvolvido pela Prefeitura de Araucária e prevê a substituição de toda a parte de madeira por uma estrutura metálica em aço. A obra inclui ainda a execução de guarda corpo de 1,10 metros de altura em ambos os lados da travessia. O piso da ponte terá uma área específica para circulação de veículos e outra para pedestres, de modo a aumentar a segurança tanto de um quanto de outro.

A obra tem estimativa de investimento de R$ 5 milhões e terá sua maior parte, 80%, custeada pela Prefeitura de Araucária. Os outros 20% serão bancados pela Prefeitura de Campo Largo. As últimas tratativas para execução da nova ponte foram acertadas na semana passada.

Na oportunidade, o prefeito Hissam Hussein Dehaini (Cidadania) visitou a Prefeitura de Campo Largo para bater o martelo sobre o financiamento da obra. Atualmente, uma lei autorizando os trabalhos previa que cada cidade teria que bancar 50% dos trabalhos. Porém, como a maior parte da represa do Rio Verde está em território araucariense, esse rateio será alterado para 80% a ser bancado por Araucária e 20% pelos campo-larguenses. Com isso, haverá a necessidade de que as Câmaras das duas cidades aprovem essa alteração na lei.

Os recursos para financiamento da parte araucariense do projeto já estão reservados e virão de um contrato que o Município celebrou recentemente com a Caixa Econômica Federal. “Investimos muito em nossa área rural e isso tem aumentado muito o tráfego de veículos e de pessoas que visitam o interior de Araucária, inclusive, a localidade de Colônia Cristina, que é onde fica essa ponte que precisa ser reconstruída para trazer mais segurança a quem a utiliza”, explicou Hissam.

Texto: Waldiclei Barboza

Publicado na edição 1282 – 07/10/2021

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

Compartilhe

Share on twitter
Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp