Procon Araucária dá dicas importantes na hora de comprar os chocolates de Páscoa

Foto: Divulgação.
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Os comércios já começaram a expor os produtos típicos da Páscoa, para encher os olhos dos consumidores. E o item mais procurado neste período é o ovo de chocolate.

No entanto, é importante ficar atento às dicas do Procon Araucária, para não gastar mais com chocolates do que o seu orçamento permite. Por isso, em primeiro lugar, a recomendação é sempre fazer uma pesquisa de preços, seja através de encartes, panfletos, na própria loja ou pela internet. “Especificamente no caso dos ovos de chocolate, são inúmeras possibilidades e o consumidor tem que fazer uma escolha de acordo com o perfil dele, verificar e comparar o peso de cada item. Vale ressaltar que o ovo de chocolate costuma ser mais caro e às vezes por vir com um brinquedo, eleva mais ainda o valor. No caso de presentear um adulto, vale a pena comprar barras de chocolate, caixas de bombom, cujo valor é mais acessível e geralmente vem com maior quantidade de chocolate”, afirma Cleber Soczek, coordenador do Procon Araucária.

Segundo ele, também é importante que o consumidor fique mais atento porque a indústria vem diminuindo o peso dos produtos. Por exemplo, uma barra de chocolate que antes pesava 140g, agora pesa 100g. Não é uma prática ilegal, desde que a embalagem contenha essa informação clara para o consumidor. “Outra dica é verificar o valor das etiquetas, pois muitas são fixadas de forma errada. Para exemplificar, um produto tem um preço no expositor, mas o valor acaba sendo de outro item. Especificamente no caso dos ovos de chocolate, os preços são colocados em listas, então o consumidor deve prestar atenção, ficar atento no tamanho e no peso do ovo e conferir o valor correto. E se o produto apresentar dois preços, deverá prevalecer o menor. Isso é direito do consumidor”, orienta.

O Procon lembra ainda que nas compras pela internet, por telefone ou nas entregas em domicílio, o consumidor terá o direito de se arrepender pelo prazo de sete dias, de acordo com o artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor. “Outra dica é ficar atento às formas de pagamento, alguns comércios aumentam o valor quando o cliente paga no cartão de crédito. Não é errado desde que isso seja informado no momento da compra. Também é importante exigir sempre a nota fiscal, sendo a única garantia caso seja necessário fazer algum tipo de reclamação ou troca de produto”, explica Soczek.

Quantidade de cacau

Outra informação que exige atenção por parte dos consumidores é com relação à quantidade de cacau informada nas embalagens. Para ser considerado chocolate, tem que ter no mínimo de 25% de cacau, e no caso dos chocolates brancos, que são feitos com manteiga de cacau, tem que ter um mínimo de 20%. “Essa recomendação é importante, principalmente se o consumidor optar em comprar chocolates artesanais. Os produtos devem conter todas as informações necessárias como tabela nutricional, entre outras”, esclarece o diretor do Procon.

Canais de apoio

Em caso de dúvidas, o consumidor pode entrar em contato com o Procon pelo fone 0800-643-2834. Quem preferir comparecer presencialmente à sede do órgão, o endereço é Rodovia do Xisto, 5815. Horário de atendimento é das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. Para agendar atendimento, entrar em contato com o número (41) 3614-1786.

Compartilhar
PUBLICIDADE