Compartilhe esta notícia

Professores faltosos revoltam pais de alunos - notícias da Geral  - O Popular do Paraná
Colégio Helena Wysocki não é o único que tem professores faltosos

Já está virando rotina os alunos do Colégio Estadual Helena Wysocki, no bairro Costeira, voltarem mais cedo pra casa levando a má notícia de que foram dispensados porque um professor faltou. O não comparecimento dos professores em sala de aula está causando um sentimento de revolta nos pais.

Segundo eles, que até então estavam tentando relevar o problema, em 22 de agosto, uma sexta-feira, a falta de cinco professores num mesmo dia foi o estopim para que a situação fosse denunciada. “Neste dia eles tiveram que dispensar quase todas as turmas e ligaram para os pais irem buscar seus filhos. O problema é que muitos pais não tiveram como sair dos seus serviços para ir até a escola e os filhos ficaram perambulando pelas ruas. Se fosse somente neste dia a gente poderia perdoar, mas tem sido uma constante mandarem as crianças pra casa por falta de um professor e porque não tem ninguém pra substituí-lo. Isso é uma vergonha!”, criticou Eva Padilha, mãe de um aluno do 7º ano.

Jucilene Tereza de Almeida, que tem um filho no 8º ano, também está revoltada com a quantidade de faltas dos professores. “Esse ano está ainda pior. Quase todo dia tem professor faltando. O problema é que eles dispensam as crianças e elas vêm pra casa sozinhas, atravessam um matagal que tem perto da escola, correndo grande perigo. Ainda se faltasse o professor e eles segurassem os alunos na escola, pelo menos saberíamos que eles estão em segurança dentro da escola e não andando pelas ruas”, indignou-se.

Outra mãe que preferiu não revelar o nome e tem um filho estudando no 8º ano, comentou que tem sido frequente a escola chamá-la pra ir buscar a criança mais cedo. “O problema é que os professores nem estão mais avisando quando vão faltar e os alunos só ficam sabendo que não terão aula quando já estão nas salas. Será que é normal tantas faltas assim? Alguém precisa investigar se isso é legal”, denunciou a mulher que disse já ter registrado uma denúncia sobre o problema na Ouvidoria do Núcleo Regional de Educação. “Falamos com a direção do colégio e eles disseram que é para os pais correrem atrás dos seus direitos, por isso fiz a denúncia”, reiterou.

Mãos atadas
O diretor do Colégio Helena Wysocki, Rodrigo Marcelo Wzorek, concorda que a falta de cinco professores em um mesmo dia foi uma situação anormal e a escola não teve outra opção a não ser dispensar os alunos. “Foi uma situação atípica, nem sempre é assim. No entanto, sobre as demais faltas que os pais estão reclamando, sempre são justificadas. O problema de o professor avisar com antecedência ou não que vai faltar já envolve uma questão de profissionalismo e responsabilidade. Se ele traz atestado, não temos como puni-lo”, explicou.

O diretor disse ainda que nem sempre existem professores para substituir os faltosos, por isso os alunos precisam ser dispensados. “Às vezes conseguimos colocar um professor atendendo duas turmas, mas nem sempre isso é possível”.
Afora estas situações de faltas justificadas ou com atestados, o colégio tem apenas a situação crítica de um professor que abandonou o emprego, mas o caso já está sendo analisado pela Ouvidoria do Núcleo.

Investigados

O setor de Recursos Humanos do Núcleo Regional de Educação (NRE) – Área Metropolitana Sul esclareceu que quando as faltas forem reincidentes, o diretor deve comunicar o fato. “Os professores podem apresentar um atestado de três dias ou três atestados de um dia cada, em um mesmo mês. O problema é que tem professores que todos os meses, literalmente, atingem este limite. No entanto, se algo estiver fugindo do normal, o profissional poderá ser punido e ter os dias descontados. Se for o caso ainda, terá sua condição de saúde investigada por uma perícia médica”, explicou uma representante do setor.

Segundo o NRE, denúncias de casos envolvendo atestados médicos apresentados por professores nos colégios estaduais de Araucária não ocorrem apenas no Helena Wysocki. “Temos um problema sério com relação a isso nos colégios da cidade. Pra piorar, não existem professores para substituir todos os faltantes, principalmente porque a maioria não comunica a falta com antecedência”, pontuou.

Compartilhe esta notícia
Fechar anúncio