Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Jurair tem muito amor aos animais. Foto: divulgação

Desde 2013 o araucariense Jurair Antunes Rocha se dedica ao trabalho voluntário de cuidar de animais. Ele criou na própria casa, localizada na área rural de Araucária, um abrigo que hoje conta com 48 cães de rua e também definiu parte do seu orçamento para o resgate, cuidados e doação de cães de rua debilitados. Até pouco tempo atrás, Jurair conseguia bancar tudo isso sozinho, porém em 2020, ele ficou desempregado e a situação ficou difícil. “Trabalhei durante muitos anos na Fafen, mas com o fechamento da empresa no ano passado, eu e mais 395 funcionários diretos e mais de mil terceirizados fomos demitidos. Tentei montar um negócio próprio com o dinheiro da rescisão, só que em seguida passei por um processo de divórcio, e na divisão dos bens, fiquei apenas com o terreno onde estão os animais. Desde então tento sobreviver de uma pequena marcenaria que montei em minha casa, que gera uma média de mil reais mensais. Sendo assim, não consigo mais sustentar os cães que ainda estão comigo”, lamentou.

]O marceneiro conta que procurou ajuda da Prefeitura, mas não conseguiu ser atendido, por falta de leis ou programas que favoreçam a causa animal. “Muitas vezes, os funcionários da Prefeitura que me atendem, se comovem e me ajudam com seus próprios recursos. Assim, a luta é constante para garantir a sobrevivência. Com muito sufoco, até hoje, estamos conseguindo o alimento. Infelizmente também temos os gatos que precisam de medicamentos de rotina como antipulgas, vermífugos e as despesas com os produtos de limpeza ou até mesmo a gasolina da roçadeira para manter o quintal limpo”, relata.

Tudo aconteceu ao mesmo tempo na vida de Jurair, o desemprego, o divórcio e o aumento dos preços dos produtos. “Antigamente eu não aceitava doações, pois esse foi um trabalho de minha própria escolha para tentar fazer algo na luta pela causa animal. Hoje, no entanto, seria muito egoísmo de minha parte deixar que esses seres pereçam sem que eu peça ajuda. Ajuda que pode ser em forma de ração, ou compra de um dos produtos que faço no trabalho de fabricação de artefatos de madeira e móveis“, comenta o protetor.

Serviço

Para ajudar o trabalho do Jurair como protetor independente ou mesmo adquirido seus produtos da marcenaria, o fone de contato é o (41) 99674-5667.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1291 – 09/12/2021

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM