Pesquisar
Close this search box.

Irmão Lauro: Quando…

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Quando eu chegar à plenitude do amor,
amar-me-ei o bastante para não mendigar amor alheio,
não sentirei falta de atenção, presentes, palavras,
serviços, abraços…

– se vierem, tudo bem, acolho com alegria e gratidão –
mas minha ocupação será amar: semear, cuidar, servir…;
e não haverá autoboicote: o melhor para o outro
será também o melhor para mim;
nem haverá boicote à vida,
entrego-lhe a minha melhor versão;
e meu tempo será para evoluir, que significa
ser mais amável

e fazer escolhas adequadas;
e saberei movimentar a vida com boas energias
e refletir Luz em abundância!
E então minha passagem pela Terra terá sido
brilhante e feliz!

Edição n. 1361