Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Apenas dez vereadores compareceram à sessão de segunda
Apenas dez vereadores compareceram à sessão de segunda

A direção da Câmara de Vereadores decidiu trocar todo o carpete que reveste o plenário da Casa. Com isso, a sessão da última segunda-feira, 21 de novembro, teve que ser realizada no plenarinho.

Dos onze edis, dez participaram dos trabalhos. Apenas Francisco Carlos Cabrini (PP) deu o cano. Em pauta, alguns projetos de crédito adicional remanejando recursos entre as secretarias municipais da Prefeitura e a análise da prestação de contas do Município relativas ao aos anos de 2009 e 2011. Ambas eram de responsabilidade do ex-prefeito Albanor José Ferreira Gomes (PSDB) e os vereadores seguiram a orientação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e as aprovaram.

Os edis também analisaram um veto ao projeto de lei de iniciativa do presidente Wilson Roberto David Mota (PSD) sobre a obrigatoriedade da afixação de cartazes contra o racismo nas repartições públicas municipais. O prefeito Rui Sérgio Alves de Souza (PTC), seguindo orientação da Procuradoria Geral do Município (PGM) vetou a proposta em razão do vício de iniciativa. Ou seja, só o Executivo poderia propor tal projeto, pois ele cria­ria despesas para o erário. Por unanimidade, os vereadores derrubaram o veto de Rui e vão sancionar a lei pela Câmara mesmo.

Sem luz

Antes de terminar a ordem do dia, houve uma queda de ener­gia na Câmara, o que obrigou o presidente da Casa a encerrar os trabalhos. Para compensar, hoje (24), a partir das 10h30, acontece uma sessão extraordinária.

Texto: Waldiclei Barboza / Foto: waldiclei barboza

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM