Registros raros de Urutaus, a ave fantasma, foram feitos em Araucária

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Alguns registros raros de Urutaus, conhecidos como aves fantasmas, já foram feitos em Araucária nos últimos anos. Embora não se saiba com exatidão quando ocorreu a primeira aparição, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente diz que há uma frequência moderada de pessoas que buscam informações para esclarecer dúvidas referentes a encontros com a espécie.

“O urutau vive em áreas de mata, principalmente mata fechada, porém com o desmatamento, eles têm sido vistos também em regiões periurbanas (áreas que se encontram numa posição de transição entre espaços estritamente rurais e áreas urbanas). Nos últimos anos tivemos três situações onde foram necessárias intervenções técnicas diretas da SMMA. Um deles foi por trauma, possivelmente causado por algum objeto arremessado, outro imobilizado por um fio de cerol e um terceiro foi localizado desorientado dentro de uma empresa. Todos eles da espécie urutau-comum”, explica Gustavo Wilson Warich, veterinário da SMMA.

O urutau-comum é a espécie vista com maior frequência na região de Araucária, e não está em risco de extinção. “Porém, infelizmente, existem outras aves da mesma família já em perigo crítico, como exemplo o urutau-de-asa-branca. E ao que se sabe, existem pelo menos cinco tipos de urutaus”, ilustra Gustavo.

O veterinário diz ainda que o pássaro possui hábito noturno, é altamente especializado em camuflagem e com uma excelente visão noturna. Se alimenta principalmente de insetos, sendo um importante controlador biológico.

“Dentre todas as lendas já conhecidas em torno do urutau, a principal é sobre o seu canto, que lembra muito um lamento. Porém, este animal não representa risco algum aos seres humanos, muito pelo contrário, é uma das aves mais importantes e necessárias para o controle da superpopulação de insetos, devendo ser protegida por nós”, acrescenta o veterinário.

Edição n. 1362

Compartilhar
PUBLICIDADE