Roubo de cabos de telecomunicações geram prejuízos às empresas e, principalmente, aos clientes. Foto: Raquel Kriger de Paiva

A violência está deixando a população sem telefone e internet. O número de casos de furtos de cabos de telecomunicações é assustador e quem paga o prejuízo são os consumidores. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Paraná (SESP), em 2020 foram registrados 7.391 casos de roubos de fios no Paraná em 2021, de janeiro a maio, já ocorreram 4.544 casos. Segundo a Guarda Municipal de Araucária, esse aumento dos furtos se dá pelo alto valor do material utilizado na confecção (cobre) e a facilidade de comercialização deste material.

Além do prejuízo financeiro, o consumidor também enfrenta vários transtornos, como é o caso de um morador do bairro Iguaçu, que disse que ficou 15 dias com problemas na Internet e só ficou sabendo que os cabos haviam sido roubados quando acionou o técnico da operadora. “Ele me disse que os roubos tem sido cada vez mais frequentes, que a empresa conserta e apenas alguns dias depois, os ladrões voltam a roubar os cabos. É difícil, porque mais uma vez o cliente é quem paga o pato”, reclamou.

A Guarda Municipal disse que identificou o aumento de ocorrências relacionadas a furto de cabos telefônicos e fiação da rede elétrica, e que por conta disso, vem intensificando o patrulhamento nas regiões de maior incidência desse tipo de crime. De acordo com a GM, nos meses de julho e agosto foram atendidas sete ocorrências de furto de fiação/cabos telefônicos, que resultaram em quatro prisões. “No dia 21 de julho, uma equipe patrulhava a rua Presidente Costa e Silva, no bairro Costeira, quando se deparou com três indivíduos com uma escada. A guarnição fez a abordagem e constatou o furto de aproximadamente 100 metros de cabos telefônicos. Nessa situação foi possível a prisão dos autores, mas nem sempre é assim, por isso precisamos da denúncia da população, que pode ligar de forma anônima no 153”, explicou a diretora da Guarda Municipal, Jaqueline Dias.

Ela disse ainda que a GMA enfrenta o problema dos furtos de fiação elétrica também nos próprios públicos, os quais monitora, onde também já foram efetuadas prisões. Para tentar coibir roubos de cabos de telecomunicações, trabalhamos com viaturas setorizadas, divididas em quatro áreas de atuação, e duas viaturas rurais, além de duas viaturas de apoio. Uma viatura que atende as praças e parques e outra atendendo o Hospital Municipal (HMA), a UPA e o Pronto Atendimento Infantil (PAI)”, pontuou Jaqueline.

População pode denunciar

Ao andar pelas ruas de Araucária é possível perceber fios caídos em diversas ruas. Foto: Raquel Kriger de Paiva

A reportagem do Jornal O Popular entrou em contato com a operadora Vivo, para saber dos prejuízos provocados pelo roubo de fios, e a empresa disse que os casos de furtos, roubos e vandalismo de equipamentos e cabos impactam diretamente os serviços de telecomunicações, prejudicam a população e comprometem os serviços de utilidade pública, como polícia, bombeiros e emergência médica.

Explicou que mantém em seu site vivo.com.br, orientação para que a população ligue para a Polícia Militar (190) ou para o canal de denúncias da empresa (08000 14 44 44) quando identificada uma ação suspeita. As denúncias podem ser realizadas 24 horas por dia, sete dias por semana e são tratadas com total sigilo.

O Popular tentou contato também com a operadora Claro Net, mas até o fechamento desta edição, a empresa não havia retornado.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1279 – 16/09/2021

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

A ética dos propagadores de fake news

O título desta crônica é provocativo, pois vivemos num tempo onde cada um é induzido a acreditar na sua fake news de preferência através da

Casa Bem Acabada

Iéste negócio da gente se meter a rabequista das véis dando o maior dos problema!! Sobrinha Roseli se achegando com cara cheia de felicidade contanto

Compartilhe