Saiba como aliviar a temperatura para os seus pets

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Você já deve ter percebido que os animais não transpiram como nós. Ao contrário dos seres humanos, eles possuem pouquíssimas glândulas sudoríparas espalhadas pelo corpo. No caso dos cães e gatos, a maior parte delas fica localizada nos coxins, as almofadinhas das patas. Uma região pequena, que não é suficiente para controlar a temperatura de todo o corpo dos animais no verão.

Quando o ser humano é exposto ao calor, as células sudoríparas, especializadas em expulsar água e vapor, entram em ação imediatamente, no entanto, com o corpo de cães e gatos é diferente, eles não conseguem realizar este processo de forma eficaz. Por isso, é muito importante que nos dias mais quentes o pet tenha à disposição água, sombra e superfícies frias para se refrescar.

A veterinária Ieda Maria Ohpis lembra que as altas temperaturas dos últimos dias vem causando mal-estar, desconforto, além de outras alterações na saúde dos seres humanos, condições que requerem cuidados. Com os pets, não é diferente, eles também precisam de cuidados. “Nessa época do ano nossos animais devem sempre ficar em lugares frescos, nunca em lugares onde pegue sol, devemos trocar a água no mínimo duas vezes por dia e sempre colocar gelo. Se possível colocar a água em potes de pedra para manter a água fresca por mais tempo. Para os cães e gatos podemos oferecer suco de melancia, melão ou morango congelado. E se você tem o costume de passear com seu animal, faça isso bem cedo ou no início da noite, pois assim ele estará seguro, não vai passar calor e nem correr o risco de queimar seus coxins. Não esqueça de passar protetor solar nas áreas onde o animal não tem pelo e nunca deixe ele sozinho no carro”, orienta.

A veterinária também alerta para alguns sintomas que seu animal pode apresentar e que requerem atenção especial como mal-estar, dificuldade para respirar, vômito e diarreia. “Esses são sinais de que ele está com desidratação e há necessidade de procurar um médico veterinário imediatamente. Lembre-se também que os animais braquicefálicos, ou seja, que tem focinho curto, como cães das raças Pug, Bulldog e Shih-Tzu, têm predisposição a quadros de hipertermia e choque térmico, então quando se trata dessas raças, os cuidados devem ser redobrados. Pets idosos, com sobrepeso, problemas cardíacos ou respiratórios também precisam de cuidados maiores”, explica Ieda.

Outro ponto importante para que a saúde dos pets fique em dia é manter o quadro vacinal atualizado, bem como a aplicação de vermífugos. “Isso é fundamental para assegurar a saúde do animal durante o período de temperaturas altas. Nessa época quente e úmida as pulgas e carrapatos são muito mais comuns. Por isso, mantenha em dia o plano de prevenção para ectoparasitas”, diz a veterinária.

Aves e roedores

Se o seu bichinho de estimação for uma ave, os cuidados também são bem necessários. É preciso deixá-las em locais com sombra e que tenha uma boa circulação de ar, não esqueça de colocar um recipiente com água para que eles tomem banho para se refrescar.

Aves que estão ofegantes com respiração de bico aberto e prostração podem ser sinais de estresse por calor. Caso sua ave apresente um destes sinais ou qualquer alteração de comportamento, procure atendimento especializado o quanto antes”.

O mesmo acontece com os roedores como hamster e chinchila, o dono deve ter um cuidado especial, dar menos alimentação mais vezes ao dia. “Se sua casa for quente, mantenha um ventilador próximo a gaiola ou deixe garrafas pet com água congelada em torno da gaiola, assim seu animal não sentirá tanto calor”, completa a veterinária.

Se você quer saber mais sobre os cuidados com seu pet nos dias de calor excessivo, entre em contato com a veterinária Ieda Maria Ohpis pelo fone (41) 99973-0959.

NINA SANTOS

Edição n.º 1381

Compartilhar
PUBLICIDADE