A cerimônia do Oscar 2022 foi marcada por um episódio que desviou os holofotes, até então voltados aos premiados da noite.  O ator Will Smith, vencedor do Oscar de Melhor Ator, subiu ao palco e deu um tapa no rosto do comediante Chris Rock, após ele fazer uma piada sobre a aparência da esposa de Will, Jada Pinkett Smith, que atualmente está careca. O problema é que há anos a atriz vem sofrendo com a perda de cabelos, fato que a levou a optar em raspar a cabeça.  Não demorou muito para que o incidente se tornasse um dos assuntos mais comentados do mundo, trazendo à tona o problema da alopecia, que afeta não apenas as mulheres, mas os homens também.

A médica dermatologista da Clínica São Vicente, Dra Jessica Zanella, lembra que cabelo representa beleza, autoestima e identidade. E é exatamente por isso que doenças capilares, como a alopecia feminina, podem ser experiências extremamente difíceis de lidar. “Alopecias são doenças de couro cabeludo que causam queda de cabelo. Existe a queda de cabelo comum, chamada de eflúvio, mas quando se fala em alopecia, há uma causa patológica para que ocorra essa queda”, explica a médica.

Segundo ela, a maioria das alopecias são doenças geneticamente predispostas, portanto, sem uma causa externa. “Muitas delas podem apresentar fatores desencadeantes, ou seja, algum fator pode contribuir para que aquele quadro piore. Um desses fatores é o estresse emocional”, exemplifica.

Alguns tipos de alopecia podem aparecer já durante a infância, mas a maior parte costuma surgir na idade adulta. E a doença não afeta apenas as mulheres, os homens também podem apresentar alopecia, independentemente da idade.

Tratamento

A dermatologista ressalta que a maioria dos quadros de alopecia são doenças crônicas e sem cura. Mas essas afecções tem tratamentos tópicos e orais para controlar a progressão e, algumas vezes, até reverter o quadro. “Existem diversos tipos de alopecia, as mais comuns são Alopecia Androgenética, Alopecia Areata, Liquen plano pilar, entre outras. Nesse contexto, devemos considerar que existe uma média de perda diária de fios de cabelo. O comum é perder cerca de 200 fios por dia, mas isso pode variar”, elucida a médica.

Outra dúvida bastante comum é se o cabelo volta a crescer em quem tem alopecia. A Dra Jessica explica que em alguns tipos, é possível reverter o quadro, são as alopecias que não deixam “cicatriz” no couro cabeludo. Mas alguns tipos de alopecia, chamadas cicatriciais, são irreversíveis.

“O mais importante é buscar ajuda médica quando notar que a queda de cabelo se acentuou muito, além do seu basal. Também vale a pena uma avaliação de um especialista, caso note falhas ou rarefação importante dos fios de cabelo”, orienta a médica.

Serviço

Consultas com a médica dermatologista Dra Jessica Zanella podem ser agendadas na Clínica São Vicente, localizada na rua São Vicente de Paulo, 250 – Centro. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira das 7h às 22h, aos sábados das 8h às 19h e aos domingos e feriados das 13h às 19h. Os telefones de contato são: whatsapp (41) 98780-1440 ou fone 3552-4000.

Foto – divulgação

Texto: Maurenn Bernardo

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

Compartilhe

Share on twitter
Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp