Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Profissionais acompanharam atentos as dicas de como agir
Profissionais acompanharam atentos as dicas de como agir

A Secretaria de Saúde de Araucária realizou nos dias 22 e 23 de outubro, um treinamento com profissionais de saúde sobre o vírus Ebola e outras doenças emergentes no país como a febre amarela, febre chikungunya, dengue e hantavirose. O treinamento aconteceu no Núcleo de Capacitação da SMSA e envolveu profissionais da rede pública e particular.

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Alexsandra Tomé, disse que o objetivo da capacitação é fazer com que o município esteja preparado quanto aos procedimentos corretos em caso de novas suspeitas destas doenças, principalmente do tão temido Ebola, vírus altamente infeccioso que provoca uma febre grave do tipo hemorrágica e mata cerca de 90% das pessoas que o contraem.

“Caso a cidade venha a registrar algum caso suspeito de Ebola, logo que chegar na unidade de saúde o profissional estará preparado para identificar. A primeira informação a ser levantada é se o paciente esteve na África, daí o isolamento será imediato”, explica.

Alexsandra disse que o município não possui estrutura necessária para remover o paciente até os hospitais referência de Curitiba, que são o Hospital do Trabalhador e o Hospital das Clínicas, mas a Central do SAMU será acionada para fazer esta remoção, conforme o protocolo do Ministério da Saúde. “Já tivemos o registro do primeiro caso suspeito da doença no Brasil, em Cascavel, e podemos dizer que o sistema de vigilância em saúde do Estado foi aprimorado. O Paraná agiu rápido na situação e mostrou que está preparado para possíveis emergências”, destacou.

Reforço

A Secretaria Estadual da Saúde informou também dará continuidade à capacitação dos profissionais da área para que identifiquem e tratem as suspeitas de acordo com o protocolo internacional. Na área da assistência ao paciente o Estado também reforçou o estoque de equipamentos de proteção individual (EPIs) em todas as regionais de saúde.
sintomas

O que é Ebola?

Ebola é uma doença causada por um vírus de mesmo nome, e seu principal sintoma é a febre hemorrágica, que causa sangramentos em órgãos internos. O vírus é nativo da África, onde surtos esporádicos ocorrem ao longo de décadas.

É uma doença grave e muitas vezes fatal, com uma taxa de letalidade de até 90%, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). O ebola é transmitido pelo contato direto com o sangue, fluidos corporais e tecidos de animais ou pessoas infectadas. Pacientes gravemente doentes requerem tratamento de suporte intensivo. Durante um surto, aqueles com maior risco de infecção são os profissionais de saúde, familiares e outras pessoas em contato próximo com pessoas doentes e pacientes falecidos.

O vírus Ebola foi descoberto em 1976 e acontecem surtos esporádicos desde então. Os primeiros registros do vírus Ebola foram encontrados em macacos, chimpanzés e outros primatas não humanos que vivem na África. Uma cepa mais branda de Ebola foi descoberta em macacos e porcos nas Filipinas – no entanto, o vírus das Filipinas não causa doença em humanos. A doença recebe esse nome por causa do rio Ebola, na República Democrática do Congo, onde o vírus foi encontrado pela primeira vez.

Hoje, o que se acredita é que o morcego seja o responsável por transmitir o vírus para outros animais. Nele o vírus não provoca doença. Mas uma fruta meio comida por um morcego e encontrada por outro animal já pode dar início à epidemia. Macacos, antílopes e porcos-espinhos também são afetados pela doença. É possível entrar em contato com o vírus visitando lugares com infestação de morcegos (como minas e cavernas) ou manipulando o tecido de algum animal morto pelo Ebola.

Texto: Maurenn Bernardo com assessoria / Foto: Everson Santos

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM