Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Recentemente, a Rede de Atenção à Saúde de Araucária passou a contar com  Protocolo de Urgências e Emergências Psiquiátricas. Na prática, trata-se de melhor estruturar o processo de atendimento para os casos de transtornos mentais e/ou sofrimento psíquico que caracterizem urgências e emergências. Nesta terça-feira (07), profissionais de diferentes estruturas da Saúde (UPA, HMA, CAPS II, CAPS AD, UBS/UBSF, Central de Remoção e SECRIA) participaram do primeiro treinamento sobre esse protocolo. 

Conforme a SMSA, emergência psiquiátrica pode ser definida como “qualquer situação de natureza psiquiátrica em que existe um risco significativo (de morte ou dano grave) para o paciente ou para terceiros, demandando uma intervenção terapêutica imediata”. O protocolo vem para melhorar e integrar o atendimento nos diferentes pontos da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) do município: UBS/UBSF, CAPS II, CAPS AD, SECRIA, CET, SAMU 192, UPA 24 h e HMA. 

O documento foi elaborado em conjunto pelos profissionais que compõem a Câmara Técnica em Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) e coordenado pelo Departamento de Atenção Psicossocial (DAPS). Ele está dentro do objetivo no Plano Municipal de Saúde vigente no que se refere ao objetivo de “aprimorar a Rede de Atenção à Urgência e Emergência, garantindo acesso qualificado nos pontos de atenção” e da meta de “implantar protocolo de atendimento às urgências psiquiátricas em serviços extra-hospitalares que atuem em rede com os equipamentos de saúde mental”.

É importante esclarecer que as situações de urgências e emergências psiquiátricas podem ocorrer de maneira imprevista e nos mais diversos locais (rua, casa, trabalho, UBS…). A melhor organização desse fluxo de atendimento no município, por meio do protocolo, norteia os trabalhos e, por consequência, fortalece toda a Rede de Saúde do município.

Texto: Assessoria

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM