Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
O semáforo deverá ser ativado nas próximas semanas, antes será feita pintura de uma yellow box. Foto: Marco Charneski

Motoristas que fazem a linha do Ligeirinho Araucária/Capão Raso e Angélica/Capão Raso estão reclamando de um semáforo localizado na avenida das Araucárias, onde fica a estação tubo sentido Araucária, no Terminal da Vila Angélica, que foi instalado há meses e até agora permanece desligado. Eles afirmam que o cruzamento ficou perigoso, pois quando o coletivo sai do recuo do tubo, para retornar à avenida, os carros aparecem de repente, porque não há sinalização. “Às vezes você arranca o ligeirinho pra sair do terminal, pensando que a pista está livre, e do nada aparece um carro cortando a tua frente. Está muito perigoso, logo vai acontecer um acidente ali, e se for na linha Araucária/Capão Raso, os passageiros estarão no interior do coletivo, e poderão se machucar”, comentou um dos motoristas. Outro motorista ressaltou que em horários de pico, quando o movimento de carros é ainda maior, o perigo dobra. “Se o semáforo não for ligado em breve, alguém poderá se machucar”. Ele disse ainda que antigamente tinha uma lombada no local, que ajudava a coibir o excesso de velocidade de alguns veículos, mas a mesma foi retirada.

Sobre a situação, o Departamento de Trânsito da Secretaria Municipal de Urbanismo informou que está aguardando a pintura de um yellow box no local. A yellow box, popularmente chamada de “caixa amarela”, têm a função de proibir a parada de veículos nos cruzamentos, evitando a obstrução e o prejuízo ao fluxo da via. Ainda conforme o departamento, o laço já está instalado para controlar o tempo para a saída do ônibus. Hoje a cidade possui laços físicos em todos os cruzamentos dos terminais, para melhorar o fluxo de veículos. Após isso, o semáforo será programado. O pregão para a pintura da sinalização horizontal está marcado para o dia 1º de março.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1250 – 25/02/2021

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM