Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Os últimos números da pandemia em Araucária são animadores. Já há alguns dias não temos registro de mortes causados pela Covid-19.

Mais do que isso: a procura por atendimento no Pronto Atendimento montado especialmente para receber pacientes com sintomas gripais caiu consideravelmente. A lista de boas notícias aumenta quando vemos também que os casos de pessoas que estão neste momento com o vírus somam 52, um dos mais baixos desde que o estado de emergência em saúde foi decretado, lá em março de 2020.

Tantas vitórias, porém, não podem fazer com que relaxemos nos cuidados. A ampliação maciça da vacinação, com a cidade já vacinando adolescentes de quatorze anos, faz com que a normalidade vá ocupando nossos corações e o que era desesperança de dias melhores se transforme em esperança de que um novo tempo começou.

Esse novo tempo, não podemos esquecer, é o pós-covid e precisamos ter incorporado ao nosso cotidiano medidas que outrora pareciam coisa de outro mundo, como a higienização constante das mãos, a cautela com aglomerações e, sempre que puder, a mantença do uso da máscara. Afinal, cuidado nunca é demais!

Não devemos nos sentirmos paranoicos em estarmos preocupados com a nossa saúde e das pessoas que amamos. A Covid-19 ainda é uma doença traiçoeira, mas precisamos aprender a conviver com ela. Conviver, no entanto, não significa trazê-la para dentro de casa e sim entender quais são os riscos de contaminação e buscarmos verdadeiramente mitigarmos as chances de contágio.

Com mais de um ano e meio convivendo com o coronavírus e com a vacina disponível já não precisamos mais temer cegamente a doença. Precisamos sim é respeitá-la, nos imunizarmos, adotar como regra diária a etiqueta respiratória e seguir nos cuidando e cuidando das pessoas ao nosso redor, seja ela sua conhecida ou não. E fazer isso é ter consciência de que se, mesmo vacinado (sim, porque as chances mesmo que mínimas existem), você tiver algum sintoma gripal precisa procurar atendimento médico, se submeter a testagem e outros protocolos indicados pelos profissionais de saúde. Boa leitura!

Publicado na edição 1285 – 28/10/2021

VEJA TAMBÉM

Começo, meio e fim!

Tudo na vida tem um início, meio e fim. E não é porque eventualmente não

Um herói araucariense!

Em circulação há 23 anos, O Popular é hoje um arquivo vivo da história de

Reflexão permanente!

Ao longo de todo o mês de novembro O Popular traz algumas matérias com o

Não existe segredo a dois

A publicação nesta tarde de quarta-feira, 3 de novembro, da sentença da segunda de nove

Viver vale a pena!

Em nossa última edição, presenteamos os leitores com algumas matérias abordando a temática da prevenção