Sindimont fiscaliza a contratação de mão de obra para a parada da Repar

Gilmar orienta trabalhadores sobre seus direitos
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Gilmar orienta trabalhadores sobre seus direitos
Gilmar orienta trabalhadores sobre seus direitos

Defender os interesses coletivos ou individuais dos tra­balhadores sempre foi a principal bandeira dos sindicatos. Com o Sindimont Araucária não tem sido diferente. Principalmente quando o assunto é a contratação de mão de obra local para a parada de manutenção da Repar, situação que costuma movimentar o setor de empregos na cidade. O presidente Gilmar Carlos Lisboa explica que o sindicato sempre se antecipa a esta movimentação, orientando a classe trabalhadora, que nessa época costuma ficar ansiosa por esclarecimentos. “Há meses, muitos trabalhadores, sabendo que este ano teria parada, começaram a procurar o sindicato e, desde maio, estamos ouvindo e conversando com eles sobre isso. Sabemos que muitos ficaram preocupados e se aglomeraram na porta do Sine, procurando informações, ao mesmo tempo em que vieram pedir apoio do Sindimont para fiscalizar a contratação de mão de obra da região, conforme prevê a Lei Municipal 2828/2015”, explicou Gilmar.

Diante de tantas dúvidas, também em maio, o sindicato promoveu uma passeata em frente à Repar. “No dia 6 fizemos um ato de manifestação com uma passeata até a portaria (PV 5) da refinaria para chamar a atenção dos responsáveis, mos­trando a realidade que vem ocorrendo, pois em paradas anteriores, antes da implantação da lei, as empresas vinham de fora e se ins­talavam já com suas equipes montadas, não oportunizando a mão de obra local. Tentamos mostrar o grande número de trabalhadores desempregados que buscam garantir sua vaga de emprego e que vêem na parada uma oportunidade”, argumentou o presidente.
Naquela ocasião, o Sindimont também discursou sobre a luta, respeito e consideração que os tra­balhadores locais devem receber e a importância de todos continuarem unidos e mobilizados, fiscalizando e fazendo com que seja aplicada a Lei Municipal, que prioriza a contratação de 70% de mão de obra de Araucária, Curitiba e região metropolitana, sendo 15% para vagas femininas. “No momento, após o Sine ter suspendido a intermediação de vagas para a parada, o Sindimont, sindicato da categoria, tem sido o principal ponto de apoio dos trabalhadores. Já recebemos mais de dois mil currículos de desempregados e estamos cadastrando essas pessoas em um banco de dados. Queremos contribuir com esse processo de recrutamento e garantir que os trabalhadores te­nham seus direitos respeitados. Somos agentes fiscalizadores, conforme prevê o artigo 6º da lei 2828”, argumenta.

Gilmar relata ainda que já foram contratados pelas empresas, 310 trabalhadores para atuar na pré parada, e todos passaram pelo sindicato e apresentaram comprovante de endereço e certidão do título eleitoral, atestando morar na região. “Estes comprovantes estão arquivados e disponíveis para as autoridades, caso necessário”, pontuou Gilmar.

Segundo o Sindimont, de acordo com informações obtidas pelas empresas, no mês de julho a estimativa e de que sejam admitidos mais 200 trabalhadores, e no mês de agosto, quando iniciará a parada, terá a maior contratação, conforme prevê a Petrobras – em torno de 1.200 a 1.500 trabalhadores. Outro alerta é que as empresas irão selecionar preferencialmente candidatos que já atuaram em contratos de parada e que te­nham a qualificação técnica e de experiência exigidas pela Petrobras. “Lamentamos que em função da crise do país e do sistema que vive a Petrobras, a parada foi reduzida e minou as expectativas iniciais”.

Serviço

Trabalhadores selecionados e recrutados pelas empresas deverão comparecer no Sindimont munidos de título de eleitor, ou certidão do título de eleitor obtida pela Internet ou no fórum eleitoral, comprovante de residência, pois as informações serão conferidas no site do TRE. O sindicato fica na Rua Dr. Vital Brasil, 291, bairro Estação. O telefone é o (41) 3643-0611.

Texto: Maurenn Bernardo / FOTO: DIVULGAÇÃO