Terezinha Poly: A Rua Major Sezino em 1.938

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Essa foto mostra uma paz e tranquilidade que havia antigamente em Araucária. O ano aqui é 1938, a rua é a Major Sezino, embora não pareça como a conhecemos atualmente. As ruas de nossa cidade levaram décadas para receberem asfalto e até mesmo calçadas, apesar de todo esforço até os anos 60 foi a partir da década de 70 que as ruas começaram a ser transformadas, e em 1981 o Projeto CURA aplicou os sistemas de água, esgoto, luz, calçamento e asfalto, até então as nossas ruas eram esburacadas, com pedras soltas, quando chovia se transformava em um perigoso e escorregadio lamaçal e quando o tempo secava daí vinha aquele poeirão, os tempos eram calmos mas havia suas dificuldades.

Podemos ter uma ideia das mudanças ocorridas desde 1938 até os dias atuais, aqui estão alguns meios de locomoção das primeiras décadas, sendo que em nossa cidade os cavalos, as carroças eram em muito maior número que os primeiros veículos, afinal os antigos automóveis como esse Ford da foto realmente eram os primeiros a serem movidos a gasolina, e apesar de não afirmarmos com certeza, tudo indica que era o veículo do saudoso Sr. Virgílio Alves Pinto, a Rua Major Sezino vista aqui é onde se localizava o antigo Fórum Cível que atualmente é o estabelecimento educacional CEEBJA. As casas em madeiras aqui mostradas há muito deixaram de existir e foram substituídas por modernas e atuais construções, a única que ainda permanece é a mais alta à direita, onde atualmente há uma Loja de Calçados.

O cavaleiro que tranquilamente passeia pela rua é o saudoso Sr. Nilo Bacelar que está montando a égua Araci. O Sr. Nilo Bacelar era Funcionário da antiga e já desativada Fábrica de Tecidos de Linho São Patrício que pertencia à Família Charvet, e a égua era de propriedade desta família, rápida e elegante era uma campeã das Raias que no século passado tinha em diversos lugares de Araucária, o Sr. Bacelar era um homem alto e magro, tinha o porte ideal para ser o jóquei, e, juntos ganharam muitas corridas.

Essa foto, embora, poucos sejam os personagens que vemos, mostra muito da história de Araucária. As mudanças que o centro da cidade teve, as lembranças das dificuldades das estradas antigamente, porque quando se fala nesse tipo de dificuldade logo vem a lembrança das estradas da área rural, mas era generalizado om péssimo estado das estradas, não que a culpa fosse dos eleitos pelo voto no Município, mas pela falta de atenção do Governo do Estado que tratava cidades menores vizinhas à Curitiba como uma prolongação de bairros em áreas agrícolas, foi somente depois de muita insistência e muito “chá de banco” que o saudoso Prefeito Aleixo Grebos conseguiu a primeira “Patrola” para Araucária, e já era o início dos anos 60, e os funcionários capacitados para operar a nova aquisição acabou se resumindo à apenas o saudoso Lauro Furlan, e assim começou a melhoria em nossas estradas. Hoje temos ruas asfaltadas, super iluminadas, sinalizadas e muito movimentadas. Para cada tempo uma novidade, um novo beneficiamento. Mas, saudades vem mesmo quando olhamos que mesmo com as dificuldades, Araucária era uma cidade calma e pacata, de população pequena e praticamente todos conhecidos, mas isso já vai longe.

Edição n. 1370

Compartilhar
PUBLICIDADE