Pesquisar
Close this search box.

Terezinha Poly: Governar é abrir estradas

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

O ano aqui é 1971, o local é Avenida Archelau de Almeida Torres. Na época era prefeito o engenheiro Rizio Wachowicz e Araucária aos poucos começava a ampliar e melhorar a sua malha viária. Uma das ruas que mais passaram por modificações em nossa cidade com certeza foi a Av. Archelau de Almeida Torres. Para alguns que chegaram a conhecer essa rua antes dos diversos beneficiamentos atuais, ainda devem lembrar que era uma rua estreita e com muitas áreas banhadas, os buracos criavam dificuldades para todos os usuários, e a solução para a época era o saibramento a cada trecho e aos poucos a estrada ia se tornando transitável. E, também como ainda devem relembrar a cada trecho de obra concluída em nossa cidade há anos atrás, sempre havia uma comemoração com discursos e fogos de artifício, e o que vemos na foto com certeza teve também seu momento festivo.

Esse trecho recebeu o saibramento em 1971, o local aqui visto fica em frente onde atualmente está o Parque Cachoeira. A maior parte da parte verde que vemos, pertencia a Família Torres. Desde a lateral da rua até onde as árvores ao longe podem serem vistas pertencia a uma única área que mais tarde ficou desmembrada. Na lateral onde as pessoas estão reunidas seria construída a Praça Archelau de Almeida Torres, inaugurada em 1976 e hoje já não existe, outra lembrança é a Casa Suíça, um chalé que havia dentro da propriedade. A grande área verde já havia sido a Fábrica de Massa de Tomates da Família Torres, e também a plantação de tomates e pimentões que eram a matéria prima da fábrica, essa Fábrica encerrou as atividades na década de 60. Mas, dentro da propriedade permaneceram o Tanque, sua Roda D’agua, a Fábrica e a imensa área verde, com o encerramento das atividades, essa área foi transformada no Parque Cachoeira e a Fábrica antiga transformada no Museu Tingui-cuera.

Ainda assim, nota-se que a área continua imensa, na época ainda nem havia sido construído o Ginásio de Esportes Joval de Paula Souza (ao lado da Casa Suíça), a Rua Ceará ainda não havia sido aberta, nem as diversas construções entre a avenida e o ginásio de esportes. Tampouco o Conjunto Tayrá havia iniciado a construção de suas casas. Mas as casas do Conjunto já fazem parte dos terrenos de outras famílias como Bini e Jasiocha, mas uma foto que consegue capturar a imensa área onde antes da ocupação natural dificilmente poderia fotografar os limites de cada propriedade.

Mas, como vemos na foto, a cada metro de saibramento, um pouco mais a rua simples do Bairro Jardim Iguaçu foi se transformando. Hoje temos realmente uma avenida, asfaltada, iluminada, com toda infraestrutura necessária à uma boa, ampla e transitável rua que teve no seu passado um bom lugar para se passar quando ali houvesse saibramento. Toda a rua recebeu serviços de drenagem pois o excesso de olhos de água no bairro deixava os terrenos bastante instáveis. Hoje temos especialmente neste trecho que vemos na foto um grande número de construções, a Escola Archelau de Almeida Torres construída nos padrões modernos de educação, o Parque Cachoeira e suas diversas atrações, as quadras esportivas, a Casa Suíça já não existe foi transformada em sua aparência e hoje é uma escolinha dedicada as crianças. Alguns rostos conhecidos estão nesta comemoração e foram personagens saudosistas do Bairro Jardim Iguaçu como o Sr. Borges e o Sr. Atilio Busquette. Depois de 52 anos passados essa é uma das lembranças de nosso passado e espaços que nos deixam saudades.

Edição n. 1363