Pesquisar
Close this search box.

Terezinha Poly: Irmãos Iarek: os últimos ferreiros do centro da cidade de Araucária

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Localizada no centro da cidade, ao lado da Casa do Cavalo Baio, a Ferraria iniciou suas atividades nos anos 50, quando os irmãos Olivio e Vitório Perreto fundaram o estabelecimento. Até então nas ruas da cidade o que mais se via eram as carroças e charretes transportando famílias e trabalhadores, e naturalmente eram puxados por cavalos. Em muitas áreas esse era o único meio de transporte, aos domingos a Praça Dr. Vicente Machado era tomada por dezenas de carroças, eram as famílias das áreas rurais que vinham para a missa, e muitas vezes, os ferreiros trabalhavam no domingo para atender os pedidos dos trabalhadores rurais que aproveitavam a vinda para o centro e trocavam as ferraduras dos cavalos, assim como apanhavam as encomendas de martelos, machados, e conserto de outros materiais de uso diário no trabalho. E até o final dos anos 60 a Ferraria era propriedade dos Irmãos Perreto, em 1970 o estabelecimento foi vendido para os Irmãos Iarek. Miguel e Francisco Iarek foram os próximos Ferreiros que substituíram os primeiros irmãos.

Por décadas, um barracão em madeira ao lado da Casa do Cavalo Baio trabalhava desde muito cedo até as 18h00 do local ouvia-se o som alto de batidas em metal por muitas quadras, eram os martelos nas bigornas, o lugar era muito quente pois o metal aquecido em brasa viva para o trabalho manual de martelos que dão forma às peças ficava aceso direto com o fole a soprar as chamas para que não esfriasse o material de trabalho.

O serviço de ferreiro é perigoso, exige muito esforço e também muita força física e disposição para aguentar no local de trabalho uma temperatura extremamente alta e também o convívio com o odor de material metálico sendo trabalhado e outros produtos químicos que os serviços de ferraria exigem.
No final dos anos 70 o Sr. Miguel Iarek passou para seu filho Mario a sua parte da oficina, no entanto continuou trabalhando, mas, Araucária já estava em fase de um grande e repentino crescimento. As carroças, charretes e cavalos se tornavam cada vez mais raros, os machados e serrotes usados para derrubada de árvores e corte de lenha para forno e fogão, já começava a ser esquecido e perdendo espaço para o uso de gás.

Já não havia a necessidade de um forno, uma bigorna, martelos e fogo continuarem a fazer parte dos sons e serviços do centro de Araucária. O Senhor Francisco já de saudosa memória ficava assim para o Sr, Miguel Iarek, a responsabilidade de se tornar o último dos Ferreiros que trabalharam no centro de nossa cidade. Em 1999 a Ferraria dos Irmãos Iarek encerrava suas atividades. O local e material foram vendidos e o estabelecimento fechava suas portas para sempre. Com Francisco já falecido o Sr. Miguel aposentou-se e passou a dedicar-se a família. Em algumas áreas rurais da cidade ainda existe cidadãos que se dedicam à arte da ferraria, mas, ao contrário de anos atrás, hoje os serviços já não são obrigatoriamente essenciais, pois muita coisa pode ser feita através da industrialização, mas, para quem conheceu um lugar assim, mesmo com o grande e ritmado barulho que fazia, ainda deixou muitas saudades do barulho.

Nota de Retratação

Na semana passada ao redigir a lembrança sobre OS FERREIROS onde relatei sobre os últimos profissionais da área no centro da cidade, eu TEREZINHA POLY cometi o grave erro em citar o nome do SR. FRANCISCO IAREK como de saudosa memória. Tal erro ocorreu em face de não ter checado informações recebidas. Quero pedir desculpas em primeiro lugar ao Senhor Francisco que graças à Deus encontra-se saudável e aproveitando sua aposentadoria com seus 86 anos de idade e bem vivo, aqui está a foto que sua filha Eva Vera Druszcz me enviou. Peço desculpas à Família Iarek se causei constrangimento e aos leitores desta coluna pela informação errada que postei embora sem intenção de ofender ou magoar a qualquer pessoa. E assim esperando que tal fato não venha abalar a credibilidade do Jornal ou que as postagens venham a cair na descrença mais uma vez peço desculpas.

Terezinha Poly: Irmãos Iarek: os últimos ferreiros do centro da cidade de Araucária
Terezinha Poly: Irmãos Iarek: os últimos ferreiros do centro da cidade de Araucária 1

Edição nº.1353.