Pesquisar
Close this search box.

Tribunal do Juri condena réu a 17 anos e 6 meses de reclusão

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

André Ricardo Barbosa, Amanda Carolai Mendes de Lara e Dhessica Sabrina Mendes Dias foram submetidos a julgamento no último dia 27 de abril, acusados pelo homicídio de Jhammes Douglas Leal, ocorrido no dia 4 de abril de 2016. Em votação, o Conselho de Sentença do Tribunal do Júri da Comarca de Araucária condenou André Ricardo a de 17 anos e 06 meses de reclusão em regime fechado. Já Amanda e Dhessica foram absolvidas após o Conselho de Sentença entender que as acusadas não haviam concorrido para a prática do delito.

André foi intimado, porém não compareceu ao julgamento, sendo assim, teve um mandado de prisão preventiva expedido no momento em que a Juíza de Direito Substituta Helênika Valente de Souza Pinto proferiu a sentença.

Relembre o crime

Jhammes Douglas Leal foi morto a tiros na rua Das Dálias, jardim Tupy, na noite de domingo, dia 4 de abril de 2016. O jovem havia acabado de voltar do culto e já estava em casa quando uma voz de mulher o chamou no portão.

Logo em seguida foram ouvidos vários tiros e um veículo branco saiu em alta velocidade do local. O rapaz ficou caído na calçada, já sem vida. A perícia do Instituto de Criminalística da Polícia Civil constatou, no local ainda, que ele havia levado pelo menos oito tiros de pistola ponto 40.

Não demorou muito para a Delegacia de Araucária desvendar a morte de Jhammes e chegar aos supostos autores. A mulher que o chamou no portão foi Dhessica Sabrina Mendes Dias, tia da sua ex-mulher Amanda Carolai Mendes de Lara. Dhessica disse que Amanda queria falar com ele, mas não queria que fosse ali, na frente de sua casa. O assunto seria a pensão que o rapaz não estaria pagando para a ex-mulher.

Era uma armadilha! Pensando que iria resolver a questão com Amanda e sem fazer ideia de que estava caminhando em direção à morte, o rapaz acompanhou Dhessica pela rua até eles passarem por uma van que estava estacionada. Escondido atrás da van estava o assassino de Jhammes, mais tarde identificado como André Ricardo Barbosa.

Assim que André percebeu que o rapaz passou pela van, com um movimento rápido, se posicionou nas costas de Jhammes e abriu fogo. Ele não teve a menor chance. Levou nove tiros que pegaram em suas costas, pernas e na cabeça. Morreu no local. Em seguida Dhessica e André entraram em um Honda Civic branco e fugiram em alta velocidade.

Investigações

No decorrer das investigações, a primeira pessoa reconhecida foi justamente Dhessica, presa na ocasião. Ela contou tudo e comprometeu Amanda e André. Segundo a DP, em seu depoimento Dhessica afirmou que a ex de Jhammes sabia do plano e que ficou no carro o tempo todo, esperando tudo acontecer. Depois dos tiros, Amanda teria dado uma bronca em Dhessica, pois a ideia seria apenas dar um susto em Jhammes e não matá-lo. Em seguida, os três foram até uma estação tubo na Vila Acordes, em Curitiba, onde se separaram.

Dhessica confessou que, de fato, chamou Jhammes para fora, mas disse também que não sabia que ele seria morto. Ela falou ainda que dois dias depois do crime Amanda sumiu do mapa. Dhessica foi presa quando foi visitar o namorado no presídio, já a Amanda e André estavam foragidos.

Edição n. 1361