Compartilhe esta notícia

Alimentação e exercícios podem se tornar vilões - notícias da Esporte  - O Popular do Paraná
A alimentação adequada e os exercícios são grandes aliados
na hora de perder ou ganhar peso

Estar acima do peso é um dos principais incentivos para que homens e mulheres mudem seu regime alimentar e iniciem atividades físicas. Aparentemente, essa iniciativa é excelente e poderia contribuir significativamente com a estética e o bom funcionamento do organismo. No entanto, se forem realizados de maneira impulsiva e sem orientação adequada, esse “levantamento de garfo” pode trazer sérios prejuízos.

A jovem Gisele Padilha, de 38 anos, sabe bem o que isso significa. “Eu pesava 96kg e queria muito diminuir três ou quatro números, então ouvi uma colega de trabalho falando a respeito da Dieta Dukan, então me empolguei”, conta. Essa dieta é conhecida como a queridinha de famosas como Beyoncé e Kate Middleton, mas causa polêmica entre os especialistas devido à promessa de emagrecimento rápido e sem sofrimento.

Mesmo assim, Gisele decidiu testá-la e precisou sofrer as consequências da decisão. “A dieta é dividida em quatro fases que acontecem em cinco meses, mas eu tive que parar porque comecei a ter tontura e quase desmaiei diversas vezes”, admite a jovem, que procurou auxílio médico e hoje faz caminhadas pelo menos duas vezes por semana e evita excessos na alimentação.

De acordo com a nutricionista Ellen Linhares, dietas da moda como a seguida por Gisele e muitas outras divulgadas na mídia podem ser extremamente prejudiciais à saúde e, por isso, quem opta por esse caminho deve estar ciente dos riscos. “Os alimentos protéicos são importantes, porém não só eles e nem em quantidades absurdamente elevadas. O ser humano precisa de todos os nutrientes, então é necessário distribuir as quantidades necessárias de carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais”, afirma.

Cristiane Negoseki Caitano, de 22 anos, optou por este caminho para conseguir emagrecer. “Passei a frequentar a academia três vezes por semana e a ter o acompanhamento de uma nutricionista para que eu ingerisse só os alimentos mais saudáveis que me ajudassem a perder peso”, conta.

Segundo ela, o tratamento iniciou há três meses e, ao invés de sentir fraqueza e tontura, ela se sentiu mais forte, bonita e saudável. “Comendo verduras, legumes, frutas, carnes brancas, grelhados e alimentos integrais nos horários corretos eu já perdi 5kg e sinto muito mais disposição para fazer as atividades físicas”, comemora.

De acordo com a doutora, a alimentação equilibrada é ainda mais importante durante a prática de exercícios, pois é necessário que haja manutenção e recuperação adequada do organismo. “Por isso, se você quer perder peso deve se alimentar nos horários corretos de três em três horas, preferir alimentos integrais, evitar refrigerantes, sucos artificiais e alimentos industrializados. Além disso, deve consumir frutas e verduras em quantidades adequadas e tomar bastante água durante o dia e durante o treino, lembrando que você não deve praticar exercício físico em jejum e, se seu treino ultrapassar uma hora, deve tomar isotônicos para a recuperação”, aconselha.

E para ganhar massa?

No entanto, ela afirma que as quantidades ingeridas de cada alimento podem mudar em relação ao tempo de prática e à intensidade do treino. “Portanto, um indivíduo que está a mais tempo praticando exercício físico vai necessitar de uma recuperação energética diferente daquele que está iniciando”.

Esse é o caso de Guilherme da Chaga Diniz, de 20 anos. O jovem decidiu fazer musculação de segunda a sexta-feira e ainda seguir uma dieta rigorosa para ter mais saúde e, de quebra, melhorar a estética. “Afinal, quem é que não quer ter um corpo bacana?”, brinca. Para isso, ele decidiu seguir todos os pré-requisitos para evitar que a fórmula do estilo de vida saudável não acabasse se tornando um vilão. “Eu fui ao endocrinologista e a um nutricionista esportivo, que me indicou essa dieta”, conta o rapaz.

Segundo ele, sua alimentação é baseada em carboidratos, proteínas, fibras e gordura boa. “Então eu como arroz integral, batata doce, inhame, peixe, frango, carne vermelha magra, ovo, e uso azeite de oliva, castanhas e amendoim”, enumera o rapaz, que afirma estar muito bem com sua saúde e seu corpo.

No entanto, a nutricionista alerta para o fato de que a dieta para ganho de massa muscular deve ser completa. “As refeições devem acontecer nos horários corretos e precisam conter quantidades suficientes em relação a nutrientes, lembrando que é necessário ter a recuperação alimentar adequada no pós-treino”, adverte.

Texto: Raquel Derevecki / Foto: Everson Santos

Compartilhe esta notícia
Fechar anúncio