Compartilhe esta notícia

É grande o número de pessoas que ainda não respeitam as determinações dos órgãos de saúde, com relação aos cuidados para evitar contaminação pelo novo coronavírus. Prova disso é a má interpretação do decreto municipal nº 34.913/20, que trouxe restrições mais brandas, permitindo o funcionamento dos bares, que muitos entenderam como um “liberou geral”. Nesse feriado prolongado, por exemplo, a situação deslanchou. A Guarda Municipal atendeu dezenas de ocorrências com relação a bares, lanchonetes e até casas noturnas e boates, estas últimas proibidas de funcionar, que registraram aglomerações de pessoas, não uso de máscaras e som alto.

Segundo a GM, a maioria dos atendimentos foi registrada na sexta-feira, 4 de setembro, inclusive em um dos bates, tinha tantos clientes que os mesmos invadiram calçadas e parte da rua, todos sem máscara. A equipe teve que intervir, porque teve até briga, e acabou mandando as pessoas de volta para suas casas. Também foram registradas chamadas com relação a casas noturnas que estavam com mais de 50 pessoas. No sábado e domingo a GM também recebeu várias denúncias relativas a bares localizados na região central da cidade, cujo público estava muito acima do permitido e a algazarra estava incomodando vizinhos. Em vários desses locais a equipe precisou orientar e dispersar o povo. No feriado de segunda, dia 7, o número de chamadas foi mais tranquilo, registrando outros tipos de delitos.

Publicado na edição 1229 – 10/09/2020

Compartilhe esta notícia
Fechar anúncio