Pesquisar
Close this search box.

Concessão prevê duplicação da Rodovia do Xisto no 4º ano de contrato

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Se tudo ocorrer conforme o planejado será somente a partir de 2027 que veremos as obras de duplicação do trecho da BR-476, entre Araucária e Lapa, acontecendo. Pelo menos é isso o que prevê o edital de concessão dos novos pedágios do Paraná.

O leilão para escolha da empresa que ficará responsável pelas rodovias que integram o chamado lote 1 do programa de concessões acontece no próximo dia 25 de agosto, na Bolsa de Valores de São Paulo. A expectativa da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) é assinar o contrato com a vencedora da disputa em 29 de dezembro deste ano.

O lote 1 do programa de concessões prevê a concessão da exploração dos pedágios por 30 anos. São 473 quilômetros de rodovias e dentre elas está BR-476 e, por consequência, o trecho que corta Araucária, conhecido como Rodovia do Xisto.

Entre as melhorias previstas para esse trecho está a duplicação da rodovia entre Araucária e Lapa. São 41,7 quilômetros de pista. No quarto ano de contrato as obras começam no quilômetro 156 e vão até o quilômetro 172 e no quinto ano de concessão compreendem a duplicação entre os quilômetros 172 e 197.

Em matéria recente publicada pelo jornal Gazeta do Povo, o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas no Estado do Paraná (Setcepar), Silvio Kasnodzei, disse esperar que a duplicação proporcione melhores condições de trafegabilidade pelo trecho. “O trânsito é intenso. É muito caminhão vindo e indo. O trecho faz ligação com o oeste de Santa Catarina e com parte do Rio Grande do Sul. O volume é grande e não é só de cargas – há o fluxo de moradores que se deslocam diariamente para trabalhar em cidades vizinhas. É uma pista estreita”, analisou.

A mesma reportagem ainda fez um levantamento junto à Polícia Rodoviária Federal (PRF), a qual aponta que desde o ano de 2020, já foram 47 as mortes causadas por conta de acidentes no trecho Araucária-Lapa da Rodovia do Xisto. Também segundo a PRF, nesse mesmo período foram contabilizados 253 acidentes, que resultaram, além das quase 50 mortes, em outras 207 vítimas com lesões leves e 83 com ferimentos graves.

Cinco praças de pedágio

Também conforme o edital, quem ficar responsável pelo lote 1 da concessão de estradas paranaenses cuidará de rodovias entre Curitiba, Guarapuava e Ponta Grossa, nos Campos Gerais, além da Região Metropolitana da capital.

A vencedora terá que investir algo em torno de R$ 8 bilhões em melhorias nessas estradas, sendo que 47% deste valor diz respeito a obras de expansão e melhoria de capacidade das rodovias, como duplicações, faixas adicionais, vias marginais, pontes, viadutos e passarelas.

Para compensar o valor investido, a empresa ou grupo vencedor da concessão poderá explorar cinco praças de pedágio, que ficarão em São Luiz do Purunã (BR-277), Lapa (BR-476), Porto Amazonas (BR-277), Imbituva (BR-373) e Irati (BR-277).

Foto: Marco Charneski.