Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Formandos sentiram na pele a responsabilidade de preparar um menu. Foto: Katty Ferreira

 

Um menu digno dos melhores restaurantes, com apresentação de pratos impecável, e sabores indescritíveis, servidos por verdadeiros chefs de cozinha, com todo requinte e etiqueta. A descrição parece ser de um reality culinário, mas não é. Este foi o cenário do encerramento do curso de Gastronomia do Projeto Alvorecer 2, onde 25 alunos foram desafiados a preparar um cardápio completo, com entrada, prato principal e sobremesa, para um júri formado por representantes da Prefeitura, imprensa local, Petrobras e Gerar.

A formatura, com direito a degustação, aconteceu em dois momentos: o primeiro foi na terça-feira, 26 de março, e o segundo na quinta-feira, 28, na sede da APMI, onde a Gerar, executora do projeto, desenvolve suas atividades. O Alvorecer foi desenvolvido em 2015 pela associação de moradores do jardim Alvorada, em parceria com a Gerar, e tem o patrocínio da Petrobras. Inicialmente criado para atender jovens do jardim Alvorada e do Thomaz Coelho, com intuito de promover ações de formação humana e profissional, hoje expandiu e atende outros bairros da cidade. Nesta edição participaram jovens e adultos encaminhados pelos CRAs, através de divulgação nas escolas e alguns indicados por alunos de turmas anteriores. “A proposta inicial era atender apenas jovens destas duas comunidades, mas o projeto fez tanto sucesso que hoje abrimos para uma participação maior”, comentou Adriana Assis, da Gerar.

As aulas duraram dois meses, sendo três semanas na associação de moradores, onde os alunos aprenderam sobre formação humana e normas de vigilância sanitária, e depois as aulas práticas na cozinha da Gerar, na APMI.

Mercado de trabalho

O superintendente executivo e administrativo da Gerar, Francisco Essert, elogiou a dedicação dos alunos e a qualidade do cardápio apresentado. Em tom descontraído, pediu as receitas e disse que a partir de agora, todos têm condições de preparar pratos especiais para conquistar seus afetos. “Nesse projeto, mais importante do que aprender a cozinhar, é o jovem saber que todo aprendizado será levado para a vida, e que isso poderá ajudá-lo a conquistar uma vaga de emprego ou a abrir seu próprio negócio”, reiterou.

Adriana lembrou que entre os formandos três já começaram a trabalhar na área e alguns estão participando de processos seletivos. Segundo ela, a quinta turma do projeto Alvorecer já está à caminho, e a previsão é de que as aulas comecem em cerca de 20 dias.

“Quero ser chef de cozinha!”

“Nem arroz eu sabia fazer, mas agora, com o curso de Gastronomia, aprendi na cozinha muito mais do que eu poderia imaginar, e tô me sentido a própria master chef”. A declaração, em tom emocionado, foi feita pela aluna Lilian Ziemmer, 44 anos. Ela conta que tudo que aprendeu, desde o preparo dos pratos, até a convivência com os colegas da turma, a ajudou a crescer como pessoa e como profissional.
Suelete das Graças Silva, 50 anos, também estava emocionada e disse que aprendeu muito com o curso, desde a parte teórica, até o momento de colocar a mão na massa. “Se aparecer uma oportunidade, com certeza vou querer trabalhar na área. Estou concluindo o ensino médio, e agora aprendi a cozinhar melhor, creio que minha vida tem tudo para melhorar daqui pra frente”, declarou.

A jovem Brenda Aparecida Camargo, 19 anos, está entre os alunos que já vão começar a trabalhar na área. Ela foi contratada para ser auxiliar de cozinha em um hotel em Curitiba, e espera que esta seja a porta para novas oportunidades, já que pretende fazer faculdade de Gastronomia. “Eu já tinha experiência com cozinha, mas com o curso do projeto Alvorecer aprendi novas técnicas, que com certeza serão muito úteis quando eu me tornar uma chef de cozinha”, exalta a jovem.

Deivid Calisário, 17 anos, é o mais novo dos formandos. Ele já concluiu o ensino médio e decidiu fazer o curso apenas para adquirir novos conhecimentos, mas ao concluí-lo, mudou de ideia. “Aprendi tantas coisas aqui, como fazer pratos típicos de algumas regiões, combinar temperos, preparar comidas mais sofisticadas, gostei tanto que até pensou em seguir carreira na gastronomia”, disse. Deivid estava visivelmente ansioso com a degustação, isso porque comandou a equipe responsável pela sobremesa, torta de café com nozes, que arrancou muitos elogios por parte dos jurados.

George Salomão, 17 anos, era um dos mais empolgados com a degustação. Ele, que liderou a equipe responsável pela entrada, um quiche de peito de peru, tem a certeza de que quer ser um cozinheiro profissional. “Meu pai é confeiteiro, minha mãe faz salgados, tenho tias que preparam merenda escolar, sempre convivi com a gastronomia, gosto de preparar carnes, da parte de confeitaria, e com o curso aperfeiçoei meus conhecimentos. Agora estou à procura de uma oportunidade para trabalhar na área, onde eu possa mostrar meus dotes culinários”, relata.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1157 – 04/04/2019

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM