Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Motoristas e cobradores montaram acampamento em frente a empresa
Motoristas e cobradores montaram acampamento em frente a empresa

As barracas ficarão montadas até o dia da audiência na Vara do Trabalho
As barracas ficarão montadas até o dia da audiência na Vara do Trabalho

Após serem despedidos sem aviso prévio, com férias vencidas e sem qualquer acerto de FGTS ou direito a seguro desemprego, motoristas e cobradores da empresa Araucária realizaram protesto na manhã de ontem, 27 de abril, em frente à empresa. Os trabalhadores montaram acampamento ao lado do terminal central, que deverá ser mantido até o dia 4 de maio, data marcada para realização de audiência de conciliação na 1ª Vara do Trabalho da cidade. Segundo os manifestantes, se o pagamento das verbas indenizatórias não ocorrer, paralisações no transporte coletivo da cidade podem acontecer.

Em janeiro, a empresa já havia alegado à Urbs não ter caixa para pagar funcionários, combustível e outras despesas essenciais ao desenvolvimento de sua atividade econômica. A Prefeitura de Araucária, res­ponsável pelo transporte público da cidade, ainda não se manifestou sobre a manutenção da concessão que outorga o direito à empresa de usufruir do transporte público da cidade perante declaração de capaci­dade econômico-financeira. A empresa continua a atrasar os vales salariais periodicamente, um dos principais motivos pelas greves que aconteceram este ano.

Recentemente, com funcionários do setor de escritório e manutenção que a empresa também despediu sem aviso prévio e qualquer tipo de acerto previsto nas leis trabalhistas, a empresa realizou acordo em que se propunha a pagar parceladamente as verbas indenizatórias, no entanto, no segundo mês os pagamentos voltaram a não ocorrer.

Explicações

Sobre a paralisação, o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Me­tropolitana (Setransp) informa que todas as suas filiadas se programaram para realizar o pagamento de seus cola­boradores no dia correto: 20 de abril. No entanto, por erro do banco, já assumido pela instituição, o pagamento dos colaboradores da Araucária TC só foi processado no dia 22. Não ocorreu na terça-feira, 21, porque era feriado. Como esse pagamento já foi feito, não deveria ter sido motivo para a paralisação da garagem ontem. O Setransp esclarece também que a Araucária TC segue em negociação com os trabalhadores desligados da empresa recentemente para o acerto de todos os seus direitos.

fotos: divulgação

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM