Pagava de gatão com carro roubado | O Popular do Paraná

Pagava de gatão com carro roubado
Everton tirava fotos e fazia pose com o carrão roubado

Pagava de gatão com carro roubado
Carro estava com as placas falsas despistava a polícia

No auge da azaração, Everton de Oliveira Machado, 19 anos, pagava de gatinho com um carro roubado, até cair nas mãos da polícia. No final da tarde de domingo, 24 de agosto, ele foi preso por policiais do Tático Bravo da PM quando circulava com um Audi Q3 branco pela avenida Manoel Ribas, no Centro. Os PMs avistaram o veículo, placas AYF 2609, com três pessoas no seu interior. Quando perceberam a presença da viatura, eles ficaram agitados, o que chamou a atenção da PM, que decidiu fazer a abordagem.

Everton estava acompanhado de uma suposta paquera e um outro rapaz. Primeiramente ele se identificou como Everson, nome do seu irmão, já falecido. Na checagem das placas, a polícia confirmou que eram falsas e que a verdadeira é AYM 0430. Pra piorar a situação do jovem, o veículo estava com alerta de furto do dia 17 de agosto, no bairro Portão, em Curitiba. O carro, segundo o dono, teria sido tomado de assalto por dois sujeitos, um deles armado, quando ele chegava em uma lanchonete, na rua Parigot de Souza, com a esposa e a filha.

Indícios

Na Delegacia, Everton assumiu a propriedade do Audi, mas não apresentou a documentação do veículo. Primeiramente teria dito que pagou R$ 30 mil pelo carro e depois chegou a dizer que teria dado uma certa quantia de entrada e financiado o restante. O fato, conforme informou a polícia, é que várias situações conspiram, contra o rapaz. Ele está desempregado, não teria condições de adquirir um carro considerado de luxo e acabou de sair da prisão, onde cumpriu pena por roubo (ele foi liberado para o regime aberto por progressão no último dia 21 de julho).

Everton também teria tentado ludibriar a polícia, fornecendo um nome falso e na DP, quando passou pela revista pessoal, foi encontrado no seu bolso um óculos de sol que pertencia ao dono do veículo roubado. Ele foi autuado apenas por adulteração de sinal identificador, porque não foi reconhecido pela vítima, mas permanece preso. Os demais ocupantes do veículo, a moça e o outro rapaz, foram ouvidos pela polícia e liberados.

Compartilhe esta notícia: