Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Milhares de araucarienses ficaram chocados no início desta semana ao ver o rastro de destruição que um quarteto de crianças deixou na Escola Municipal Professora Delani Aparecida Alves, no jardim Sol Nascente.

O quarteto, formado por três meninas e um menino teria invadido a escola em pleno 25 de dezembro e vandalizado diversas salas de aula da unidade. Não satisfeitos, botaram uma série de equipamentos de uso da escola em sacos plásticos e deixaram separados num canto para levá-los embora no dia seguinte. O furto só não foi concretizado, porque funcionários da unidade pegaram a criançada com a boca na botija e acionaram a Polícia Militar.

Na quarta-feira (27) a direção da escola organizou um mutirão para limpar a sujeirada deixada pelas crianças. Professores, pais, alunos e funcionários administrativos e da terceirizada responsável pela limpeza puseram a mão na massa. A Secretaria Municipal de Educação (SMED) encaminhou duas auxiliares de limpeza extras para ajudar, além de outros servidores da própria sede da pasta. Todos unidos para que a instituição virasse o ano novinha em folha.

Apesar desta união toda, um fato chamou a atenção de todos que se uniram em prol da Escola Delani: os pais das três crianças e da adolescente responsáveis pela depredação não deram as caras para tirar uma mancha de tinta que fosse das paredes vandalizadas por seus filhos. E, para piorar a imagem desses pais, não apareceram para ajudar, muito embora tivessem se comprometido a fazê-lo.

Leia também: Criançada vandaliza geral e ainda tenta furtar escola no jardim Sol Nascente Criançada vandaliza geral e ainda tenta furtar escola no jardim Sol Nascente

Conforme a direção da escola, ainda não é possível saber ao certo o tamanho do prejuízo causado pela ação do quarteto. Isto porque sumiram vários rádios e diversos brinquedos que eram utilizados pelos profissionais da unidade nos trabalhos em sala de aula. Além disso, um dos computadores depredados, aparentemente, não terá conserto.

Crianças não podem responder pelo vandalismo

Dos quatro identificados como autores do vandalismo na Escola Delani, três sequer responderão pelo ato praticado. Isto porque têm menos de doze anos e, conforme estabelece o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) são inimputáveis. Apenas a adolescente de 13 anos responderá pelo ato infracional. No entanto, como o caso não resultou em grave ameaça ou algo assim, muito possivelmente será lhe aplicada uma medida socioeducativa de prestação de serviços à comunidade, além de uma obrigação de reparar o dano que causou.

Veja abaixo algumas fotos do mutirão de limpeza feito na Escola Delani

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM