Pesquisar
Close this search box.

Prefeitura vai investir mais de R$ 1,2 milhão para implantar programa Prato Cheio

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

A Prefeitura de Araucária lançou na tarde desta quarta-feira, 17 de maio, o programa Prato Cheio, que distribuirá a cerca de 500 famílias de Araucária um cartão “pré-pago” para aquisição de gêneros alimentícios e de limpeza diretamente de comércios instalados na cidade.

O Prato Cheio faz parte do programa de benefícios eventuais mantidos pela Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) e será concedido a famílias em situação de vulnerabilidade social após análise feita pelos CRAS de referência de cada bairro.

O programa beneficiará famílias com renda per capita não superior a 25% do salário mínimo nacional vigente. A análise dessa condição caberá aos assistentes sociais de cada CRAS. Por se tratar de benefício eventual, não necessariamente quem for contemplado num mês fará jus ao cartão no mês seguinte. O objetivo do projeto é direcionar esse suporte extra as pessoas que mais necessitam do auxílio para garantir sua subsistência alimentar no momento da avaliação feita pelo técnico do CRAS.

São duas as cotas a que a família contemplada podem ter direito. Aquelas que tiverem até 3 membros recebem o cartão com um crédito no valor de R$ 202,00. Já para aquelas com mais de quatro pessoas o crédito é de R$ 242,40. Esse dinheiro não pode ser utilizado pelos beneficiados para compra de bebidas alcoólicas e nem cigarros.

Substituição

Ainda conforme a Secretaria Municipal de Assistência Social, o Prato Cheio substitui o programa de distribuição de cestas básicas que era mantido pela Prefeitura. “Com esse cartão o beneficiado vai poder ir aos estabelecimentos credenciados pra comprar os alimentos necessários, tendo mais autonomia e dignidade, já que muitos alimentos, como por exemplo, iogurte, carne, leite, não vinham na cesta básica. Obviamente está proibida a compra de bebidas alcoólicas e cigarros com esse valor, sendo que os estabelecimentos serão fiscalizados e, na eventualidade, de descumprirem as regras, serão descredenciados”, explica a secretária de Assistência Social, Leonice Lacerda.

Foto: Carlos Poly.

Edição n. 1363