A Dora foi castrada pelo programa da Prefeitura e hoje vive feliz com sua família. Foto: Marco Charneski

A viralata Dora está entre os cerca de cinco mil animais que foram castrados em 2021, através do programa Castração Solidária, da Prefeitura de Araucária. A dona da cadelinha, Raquel, conta que adotou a Dora já castrada, de uma protetora independente. “Ela tem cerca de um ano e estamos super felizes com a chegada dela aqui em casa. É muito importante a castração, porque se ela pega cria, fica difícil doar os filhotes e achar alguém que realmente cuida”, disse a moradora do Jardim Palomar.

Raquel disse ainda que a nova integrante da família vai fazer companhia para outra cadelinha que ela já tinha, também castrada. “Juntas, elas farão a alegria da casa”, comemorou.

As campanhas de castração solidária em Araucária acontecem desde o ano de 2018. Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), somente em 2021 foram realizadas 4.889 castrações, sendo 1.228 gatas, 613 gatos, 2.165 cadelas e 883 cachorros. No ano passado, as campanhas foram realizadas em pontos diversos na cidade, buscando abranger toda a população.

Para este ano, os pontos de campanha estão sendo definidos pela equipe responsável da SMMA, e há planos de realizar as castrações também na área rural do município. “Estamos trabalhando na agenda de castrações para 2022, mas podemos adiantar que serão 11 campanhas neste ano, pois precisamos de um prazo de 40 dias entre uma e outra para garantir a efetiva organização das ações”, informou a secretaria.

A veterinária Ieda Ohpis, uma das protetoras mais conhecidas de Araucária e responsável pelo resgate de centenas de animais nos últimos anos, disse que utiliza o serviço desde que foi implantando. Em 2021, ela conta que cadastrou mais de 80 cães e gatos para serem castrados gratuitamente.

“Considero de grande importância a iniciativa em Araucária, já tenho notado nas ruas a diminuição de animais. Infelizmente, ainda observamos vários bichinhos abandonados, mas se a população não tivesse esse benefício, com certeza o número seria bem maior. Nós, enquanto protetores, esperamos que num futuro bem próximo as pessoas se conscientizem mais e castrem seus animais de estimação. Além da diminuição do número de animais nas ruas, já que é evitada a procriação, ainda há benefícios para a saúde dos pets”, lembrou a protetora.

Ela também comentou que muitas pessoas não têm condições financeiras de castrar seus pets, até porque os valores em clínicas particulares variam de acordo com o tamanho/peso do animal. “Pelas campanhas da Prefeitura, o responsável pelo animal não tem custo nenhum. É só cadastrar, levar o animal no dia agendado (com o jejum indicado) e depois o animal já sai da castração com a medicação para o pós-operatório”, ressaltou Ieda. Ou seja, o cidadão precisa somente responsabilizar-se em cuidar do animalzinho, realizando o jejum antes do procedimento e depois cuidar do pet, fornecendo a medicação nos horários indicados, alimentação e água e assegurar que o animal não conseguirá abrir os pontos, por meio de colar elisabetano.

Taxa de ausência

Embora a Prefeitura disponibilize centenas de vagas em cada campanha de castração solidária, a taxa de ausência ainda é grande. Essas faltas acabam tirando a vaga de quem precisa e impossibilita que outros animais sejam castrados durante as campanhas.

A SMMA ressalta ainda que se o animal não estiver em jejum, conforme informado ao responsável no agendamento, a cirurgia não pode ser realizada. Outro fator importante que deve ser levado em conta é que a pessoa que levar o animal na castração precisa ser a mesma cadastrada no sistema. Todas essas informações são repassadas ao responsável durante o agendamento e confirmação de cadastro.

Algumas pessoas deixam de castrar seus animais por receio de que ele passe dor. Sobre isso, é necessário esclarecer que os procedimentos são realizados sob anestesia, o que os tornam totalmente indolor. Ao término da cirurgia, o responsável recebe a medicação que deverá ministrar no seu pet. Desta forma, cabe o tutor se atentar ao horário correto do remédio e tomar as precauções, conforme indicado pelos profissionais, a fim de evitar qualquer complicação pós-cirúrgica.

Ainda assim, caso o animal tenha algum problema relativo à castração, a empresa que presta o serviço ao município pode atendê-lo nos dias seguintes.

Primeira campanha de 2022

A primeira campanha de castração solidária de 2022 deverá ocorrer na Praça da Bíblia, entre os dias 16 e 19 de fevereiro. Neste mutirão serão atendidos os cadastrados aprovados dos bairros Fazenda Velha, Boqueirão, Passaúna, Estação e área rural.

Lembrando que o programa de castração é voltado a cães e gatos que se enquadrem em um dos três tópicos: 1) animal resgatado por protetor independente devidamente cadastrado na SMMA; 2) animal de rua (desde que tenha alguém que se responsabilize pelo pré e pós-operatório); e 3) animal de família com cadastro NIS.

Caso o animal se enquadre em uma dessas opções, é possível realizar a solicitação da castração no Portal da Prefeitura, através do aplicativo “Atende.Net” ou presencialmente na sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, localizada no Parque Cachoeira. É necessário apresentar RG, CPF e demais informações sobre o animal.

Texto: Maurenn Bernardo com assessoria

Publicado na edição 1291 – 13/01/2021

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

Compartilhe

Share on twitter
Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp