Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Ao longo de todo o mês de novembro O Popular traz algumas matérias com o objetivo de amplificar a discussão acerca do preconceito racial em nossa cidade.

Fazemos isso porque, como se sabe, no próximo 20 de novembro é celebrado em nosso país o Dia da Consciência Negra, oportunidade dada pela legislação nacional para que cada cidadão brasileiro faça uma reflexão sobre a dívida histórica que a sociedade tem com o povo negro.

Na semana passada, por exemplo, publicamos uma matéria sobre a importância do resgate e preservação da memória do povo negro em Araucária. Memória esta que antecede a própria emancipação política de nossa cidade. Memória esta que historicamente sempre foi relegada, muito possivelmente em razão do chamado racismo estrutural que acompanha, embora alguns teimem em não admitir, tudo o que fazemos.

E é justamente em razão da dificuldade em admitirmos que somos sim um país estruturalmente racista que precisamos constantemente trazer à tona o debate acerca da dívida histórica que temos com nossos irmãos brasileiros pretos. Dívida esta que não se encerrou com a abolição da escravatura em 1.888. Dívida que talvez tenha começado a não aumentar desde então, mas que não foi paga até hoje.

Nesta edição trazemos outra matéria acerca do papel da população negra na construção e desenvolvimento de Araucária e assim seguiremos fazendo ao longo das próximas edições. Pretendemos ainda, ao final deste mês, promover um debate por meio de live em nossa página no Facebook sobre o tema. Live esta que deveria ser assistida por todos os moradores de nossa cidade, desde aqueles mais jovens até os mais velhos, pois o racismo precisa ser um assunto ao alcance de todos. Isto porque sem conhecermos a fundo o tema não conseguiremos – de fato – admitir sua existência. E sem a admissão de sua existência jamais poderemos superá-lo. E, enquanto não colocamos efetivamente o dedo nesta ferida, seguiremos vendo os negros tendo menos oportunidades. Continuaremos a ter mais pretos sendo presos, sendo mortos, ocupando menos postos de comando em empresas e assim por diante!

Pense nisso e boa leitura!

Publicado na edição 1287 – 11/11/2021

VEJA TAMBÉM

Começo, meio e fim!

Tudo na vida tem um início, meio e fim. E não é porque eventualmente não

Um herói araucariense!

Em circulação há 23 anos, O Popular é hoje um arquivo vivo da história de

Não existe segredo a dois

A publicação nesta tarde de quarta-feira, 3 de novembro, da sentença da segunda de nove

Sigamos nos cuidando

Os últimos números da pandemia em Araucária são animadores. Já há alguns dias não temos

Viver vale a pena!

Em nossa última edição, presenteamos os leitores com algumas matérias abordando a temática da prevenção