Sal da Terra e luz do mundo

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Jesus se dirige aos discípulos dizendo que eles devem ser como sal e luz no meio do mundo. Utiliza a imagem de dois elementos essenciais para a nossa vida, sem os quais não conseguiríamos viver. Sem sal a comida perde todo o seu sabor, todo gosto e não apetece. Como é triste quando alguém, por motivos de saúde, precisa reduzir ou até eliminar o sal! A luz ilumina, transforma um ambiente cercado por trevas, em claridade e em brilho. A força da luz é simplesmente impressionante e transformadora. Se você se encontra num lugar escuro, onde não consegue ver absolutamente nada, a luz transforma tudo, ela é muito mais forte e muito mais poderosa do que a escuridão.

Ser sal no mundo significa dar gosto e sentido para a sua vida, para a sua existência e para tudo aquilo que você faz. Fazer com gosto quer dizer, agir de modo alegre, vibrante e entusiasta. Sentir o prazer em tudo aquilo que faz, vendo sempre os aspectos positivos, aquilo que constrói e ajuda o mundo a ser melhor. Pessoas sem sal são aquelas que reclamam de tudo, nunca estão satisfeitas, se sentem as mais prejudicadas, olham preferencialmente o negativo e as desgraças que acontecem ao seu redor. O seu jeito de ser é sem entusiasmo, sem vibração, como se estivessem sempre engessadas e desanimadas e deprimidas. Sua fala carrega descrença, mágoas, ressentimentos, inveja, ciúmes e tantas vezes, ódio no coração. São as pessoas sem sal, que onde estão criam um ambiente negativo, fosco, pesado e carregado. Adoram falar mal da vida dos outros, enaltecer os seus aspectos negativos e por vezes, fazem tudo para destruir o outro, sobretudo, aquele alegre e feliz. É triste, mas no mundo atual encontramos tantas pessoas insossas e sem gosto pela vida.

Ser luz no mundo se manifesta através do olhar, do brilho nos olhos, da luz que brota do interior do ser humano. A pessoa iluminada é aquela que demonstra através do seu semblante um sorriso que brota do seu coração que busca a paz, o amor, a concórdia, a união entre as pessoas. Que se alegra com o bem do outro e sempre deseja o seu melhor. Que foge das brigas, das fofocas, da destruição, e quer apenas ser um sinal de esperança em tudo aquilo que faz. Quem está iluminado por dentro, espalha a luz no meio em que vive, sempre acreditando que as coisas podem ser melhores e diferentes. Acredita na força da vida, em detrimento da morte. Acredita na esperança de um mundo melhor, em vez do desespero do fim de tudo. Vive de modo entusiasta, contrariamente àqueles desanimados e derrotados antes de entrarem na arena da vida. Enaltece a vida, o bem, as conquistas, sempre valorizando o outro por aquilo que ele é no mais profundo do seu ser.

Ser sal e luz no mundo é dever de todos os leigos batizados, que acreditam no evangelho de Jesus e fazem da sua vida uma oferta em prol da construção do reino de Deus. Quando encontramos alguém que acolhe com alegria; que se preocupa com a vida do outro, pronto para ajuda-lo; que se coloca aberto para escutar as dores e sofrimentos alheios, com amor e compaixão; que manifesta uma atitude de solidariedade; que sempre pensa acima de tudo no bem do outro, podemos afirmar que este ser humano é salgado e iluminado. Ninguém pode oferecer ao outro aquilo que não tem. Doamos aquilo que temos dentro de nós mesmos, que carregamos no profundo do nosso ser. Chamados desde o batismo para uma vida plena, leigos e leigas, deixem que a luz de Deus brilhe dentro de vocês; permitam que o vosso coração seja salgado com o sal da alegria, da esperança e do entusiasmo. Parabéns pelo vosso dia!

Publicado na edição 1127 – 23/08/18

Sal da Terra e luz do mundo